Câmara bancou viagens de deputados a locais turísticos; cearenses participaram

As passagens aéreas e diárias somadas custaram quase R$ 10 mil para cada um

Legenda: No dia 3 de maio, o deputado cearense José Airton Cirilo postou em suas redes sociais, uma foto na estátua de Eusébio, um dos maiores jogadores de futebol da história de Portugal, em viagem oficial pela Câmara ao País europeu 
Foto: FOTO: Reprodção/Facebook

Deputados federais cearenses integraram comitivas da Câmara dos Deputados em viagens ao exterior, sob justificativa de "ganhos ao Legislativo". Algumas dessas viagens foram a destinos turísticos, como mostra, em reportagem desta segunda-feira (24), o jornal Folha de São Paulo. Somente de janeiro de 2018 a janeiro de 2019, esses deslocamentos teriam custado aos cofres públicos em torno de R$ 3,9 milhões, aponta o jornal. 

Os deputados José Airton Cirilo (PT-CE) e AJ Albuquerque (PP-CE) participaram da comitiva brasileira que passou cinco dias visitando, em missão especial, locais turísticos de Lisboa e Fátima, em Portugal, com praticamente todas as despesas pagas pela Câmara. 

O objetivo oficial é, entre outros, dar aos deputados “acesso a novos conceitos, políticas públicas e experiências legislativas úteis ao Brasil”.

As passagens aéreas e diárias somadas custaram quase R$ 10 mil para cada um, segundo apuração da Folha. A Câmara já bancou, neste ano, pelos menos três grandes comitivas de deputados ao exterior: uma acompanhou o presidente da Casa Rodrigo Maia (DEM-RJ) a Portugal, outra foi com a ministra Tereza Cristina (Agricultura) ao Japão, e a última, ocorrida neste mês, acompanhou o ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) à Guiana Francesa.  

Júnior Mano (PR) e Roberto Pessoa (PSDB), integrantes da Comissão de Agricultura, acompanharam a visita ao país asiático ao lado da ministra. O deputado André Figueiredo (PDT), membro da Comissão de Ciência e Tecnologia da Casa, esteve na Guiana Francesa.  

A Comissão de Turismo da Câmara tem quatro deputados cearenses como titulares: Pedro Bezerra (PTB), Eduardo Bismarck (PDT), José Airton Cirilo (PT) e Vaidon Oliveira (DEM). São suplentes no colegiado Robério Monteiro (PDT) e AJ Albuquerque (PP). 

Nos quatro meses do final da legislatura passada, por exemplo (outubro de 2018 a janeiro de 2019), o já presidente Rodrigo Maia autorizou 37 deputados (22 em fim de mandato) a viajarem para serem observadores de encontros da 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Foram R$ 650 mil em gastos. 

Permitida pelas regras da Casa, a chamada “CamaraTur” é usada para viagens de parlamentares com justificativas questionáveis de "ganhos ao Legislativo".  

As viagens internacionais dos deputados têm levado desde outubro do ano passado uma média de 26 parlamentares para fora do país, por mês, para destinos de Estados Unidos, Europa e Ásia, alguns mais de uma vez. 

Na prática, a “CamaraTur” tem sido usada para viagens de deputados, acompanhados pelos cônjuges (o custo de eventual acompanhante não é bancado pela Câmara), para destinos turísticos, com precária justificativa das razões e ganhos ao Legislativo desse tipo de deslocamento. 

Respostas

Por meio de sua assessoria, o deputado cearense José Airton Cirilo informou que, por ser membro da Comissão de Turismo, o parlamentar precisa participar deste tipo de atividade que visa "alavancar o turismo brasileiro". Ainda segundo a resposta, diferente de outros deputados, Airton não leva acompanhantes nas viagens. A assessoria de AJ Albuquerque disse que ele deve responder à reportagem ainda hoje.