Bolsonaro desiste de ir entregar MP do auxílio emergencial após morte de Major Olímpio

Anteriormente, Bolsonaro havia dito que entregaria a redação nas mãos de Arthur Lira nesta quinta-feira (18)

Presidente Jair Bolsonaro ia ao Congresso entregar pessoalmente a MP
Legenda: Presidente ia ao Congresso entregar pessoalmente a MP
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que não irá mais ao Congresso para entregar o texto da Medida Provisória (MP) que decidirá sobre o auxílio emergencial em razão da morte do senador Major Olímpio (PSL).

As informações foram divulgadas na Globo News. Anteriormente, Bolsonaro havia dito que entregaria a redação nas mãos do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, nesta quinta-feira (18). 

Bolsonaro e Olímpio já foram aliados políticos, mas tiveram divergências após racha político e a saída do presidente do PLS. 

Novos valores do auxílio

A nova rodada do benefício deverá ter parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375, sendo o valor médio de R$ 250 pago à maior parte dos beneficiários. Já o menor valor,  R$ 150, será destinado a indivíduos que moram sozinhos.  

A MP tem força de lei a partir do momento em que ela é publicada e fica em vigor por 120 dias. Se não for analisada pelo Congresso nesse período, perde a validade.  

Morte de Olímpio

O senador Major Olímpio (PSL-SP) morreu nesta quinta-feira. O parlamentar teve morte cerebral após passar 16 dias internado por Covid-19, no Hospital São Camilo, em São Paulo.

Ele é o terceiro senador que morre por complicações da Covid desde o início da pandemia. José Maranhão (MDB-PB), morreu aos 87 anos em fevereiro deste ano, e Arolde de Oliveira (PSD-RJ), 83, faleceu em outubro de 2020.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política