Autoridades estão com dificuldade de comprar insumos da Saúde no mercado internacional

O ministro da Saúde sinalizou aos prefeitos que o ministério está estudando junto com a Anvisa se é viável autorizar a indústria têxtil nacional a produzir máscaras de tecido para uso dos profissionais

Legenda: Máscara e luvas estão entre os itens que estão difíceis de comprar no mercado internacional
Foto: Foto: Nelson Almeida

As autoridades brasileiras estão tendo dificuldade de comprar os Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs, no mercado internacional. Essa preocupação foi compartilhada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), mas é uma preocupação também dos estados. O governador Camilo Santana e o próprio prefeito Roberto Cláudio têm relatado a dificuldade não só em relação aos EPIs como os equipamentos médicos para UTI e os respiradores.

Em relação à compra de EPIs, o ministro sinalizou aos prefeitos que o Ministério da Saúde está estudando junto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se é viável autorizar a indústria têxtil nacional a produzir máscaras de tecido para uso dos profissionais. Esta, por enquanto, é só uma possibilidade.

Em 'live' no início da noite deste domingo, o governador Camilo Santana também cogitou a possibilidade de incentivar a indústria têxtil cearense a produzir os equipamentos justamente por conta da dificuldade de compra no mercado. "Estamos com uma dificuldade enorme até em outros países. Tenho conversado com empresários para estimular a indústria a produzir máscaras descartáveis. Vamos continuar esse trabalho", disse o governador.

Equipamentos médicos 

O prefeito Roberto Cláudio disse que o município de Fortaleza também está no mercado internacional em busca de equipamentos para a Saúde e reconheceu a dificuldade para adquirir os insumos, principalmentes os EPIs, respiradores e equipamentos para as UTIs. "Até pelo momento que o mundo passa", complementou o prefeito.


Categorias Relacionadas