Aliado vai pedir afastamento imediato do prefeito de Uruburetama

Por volta do meio dia de hoje, alguns vereadores se reuniram para definir como conduziram a sessão extraordinária convocada para logo mais, às 16 horas

Legenda: O prefeito José Hilson Paiva ao lado dos vereadores Barroso, Bahia, Stela, Cristiane, Erandir, Diego Barroso, Laeste e Batista
Foto: Foto: Reprodução

“Quem compactuar com essa sem-vergonhice, se acaba politicamente no Município”. A frase é do vereador Diego Barroso, do PSL, que faz parte da base governista do prefeito de Uruburetama, José Hilson (PCodB), acusado por vários casos de abuso sexuais ao longo de três décadas. A Câmara Municipal vai se reunir na tarde desta segunda-feira (15) para votar o pedido de afastamento do prefeito, que será feito pelo aliado. 

Justiça de Uruburetama diz que não há processos contra prefeito acusado de abuso sexual

MPCE analisa caso de Uruburetama buscando datas e quais crimes aconteceram
 

“Eu sou da base governista, mas hoje, diante de tudo o que está acontecendo, nossa cidade passando vergonha em todos os meios de comunicação, se eu compactuar com essa sem-vergonhice, acabo com meu mandato”, disse o parlamentar.

De acordo com ele, “o clima na cidade está pesado”. No ano passado, Barroso já havia feito uma denúncia de ameaças feitas contra o promotor de Uruburetama, Marlon Welter, que acompanhava as acusações feitas pelo prefeito José Hilson.  

Por volta do meio dia de hoje, alguns vereadores de Uruburetama se reuniram para definir como conduziram a sessão extraordinária convocada para logo mais, às 16 horas. Lá, eles decidiram que Barroso fará o pedido verbal de afastamento do prefeito.  

“Não importa se é vereador de oposição ou situação. O vereador deve satisfação à população. Estarei entrando com pedido de afastamento do excelentíssimo prefeito de Uruburetama. E tenho certeza que 100% da Câmara irão aceitar o pedido de afastamento imediato”.  

O Legislativo de Uruburetama é constituído por 11 vereadores. A presidente da Casa, vereadora Teté, informou pela manhã ao Sistema Verdes Mares que iria convocar reunião extraordinária. A parlamentar também disse que ficou “em choque” ao se deparar com vídeos em que o prefeito abusa sexualmente de diversas pacientes.