Um em cada quatro tem pressão alta

Legenda: Mulheres são maioria nesse cenário. Entre elas, 26,8% são hipertensas, enquanto, entre os homens, esse mal atinge 22,5%
Foto: FOTO: RODRIGO CARVALHO

Brasília. Dados da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) divulgados ontem indicam que 24,8% da população brasileira adulta têm pressão alta. Os números mostram que as mulheres são maioria nesse cenário.

Entre elas, 26,8% são hipertensas, enquanto, entre os homens, esse mal atinge 22,5%. A pesquisa mostra que a quantidade de hipertensos aumenta com o avanço da idade e com a diminuição da escolaridade.

Entre as capitais, Palmas apresenta o menor número de hipertensos no país, 15,2%. Porto Alegre tem a maior taxa, 29,2%.

O estudo revela ainda que a população brasileira apresenta baixa percepção sobre o consumo de sal em excesso, já que 47,9% dos entrevistados consideram o seu consumo adequado. Apenas 2,3% admitem ter consumo muito alto.

A diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde, Deborah Malta, lembrou que doenças crônicas como a hipertensão respondem por 72% das causas de morte na população brasileira.

Acordo

De 2011 a 2014, 7.652 toneladas de sódio foram retiradas de produtos alimentícios no Brasil por meio de compromisso firmado pelo Ministério da Saúde e Associação das Indústrias da Alimentação (Abia). Os dados foram divulgados ontem pela pasta. A meta do governo é que, até 2020, o setor promova a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro.

Você tem interesse em receber mais conteúdo do Brasil?