SP fechou acordo com operadoras de celular para monitorar isolamento, diz Doria

O monitoramento será feito por meio do rastreamento e georreferenciamento dos aparelhos celulares

Legenda: O governador de São Paulo anunciou o sistema de monitoramento nesta quinta (9)
Foto: Foto: GoveSP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (9) o funcionamento do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI) para acompanhamento dos índices de distanciamento social e de isolamento durante a quarentena do novo coronavírus.

Segundo o governador, foi fechado um acordo, sem custo para o Estado, com as operadoras de telefonia celular no País - Vivo, Claro, Oi e Tim - para "identificar os locais onde as pessoas estão e onde há concentração". O monitoramento será feito por meio do rastreamento e georreferenciamento dos aparelhos celulares. De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, os dados que são fornecidos são "completamente anonimizados".

"Tivemos ontem (8) 49% de isolamento, muito abaixo do necessário de 70%", disse Doria. "Temos que ter como objetivo chegar a 70% para poder limitar os efeitos da pandemia, ter menos pessoas infectadas, e menos pessoas sob risco de morte", completou.

Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, os dados são anonimizados e agrupados, ou seja, o governo não tem como saber exatamente quem está fazendo aglomerações ou não.

O governo montou um mapa para ver onde há mais aglomerações. Na manhã desta quinta, a região da Lapa, na zona oeste de São Paulo, era um dos focos.

Celulares em regiões com alto índice de aglomeração vão receber mensagens SMS alertando às pessoas que devem ficar em casa. O sistema é compartilhado com diferentes setores do governo.

Programa

O governador também anunciou o funcionamento do Programa São Paulo Pergunta, feito em parceria com o WhatsApp, para a disseminação de informações a respeito da prevenção contra o coronavírus. Segundo Doria, basta encaminhar a palavra "oi" para o número 011 95220 2923. O serviço é gratuito.