Idosa engasga com pipoca e morre na frente do neto em prédio de SP

Caso ocorreu no dia seguinte à morte de menina de 1 ano e 9 meses no ES, também por engasgo com milho de pipoca

Legenda: Engasgo com pipoca foi a causa das mortes de uma idosa e de uma criança esta semana
Foto: Reprodução

A idosa Verônica José da Silva, de 64 anos, se engasgou com uma pipoca enquanto brincava com seu neto de 5 anos por volta das 17h, no parque de um condomínio do bairro da Lapa, na zona oeste de São Paulo. 

Os Bombeiros foram acionados, mas Verônica não resistiu e morreu. "Quando chegamos, ela estava em um quadro de parada cardíaca, as equipes da Unidade de Suporte Avançado insistiram com ela durante 25 minutos, tentando a reanimação, mas não foi possível. Naquele momento, o médico conseguiu identificar que se tratava de uma pipoca de saquinho que estava obstruindo a passagem de ar", afirmou Marcos Palumbo, capitão do Corpo de Bombeiros em entrevista ao R7. 

Outro caso

Uma menina de um ano e nove meses morreu, nesta segunda-feira (4), após ficar 45 dias internada na CTI do Hospital Infantil de Vitória depois de engasgar com milho de pipoca. O alimento foi parar no pulmão da criança.

Uma tia da criança contou, em entrevista ao G1, que a sobrinha era acostumada a comer pipoca e estava com a babá quando engasgou.

No dia, ela foi socorrida e levada para o PA de Alto Lage, em Cariacica, onde foi atendida e recebeu alta. Mas a menina voltou a passar mal e foi levada para o Hospital Infantil de Vitória, mas não resistiu.

Orientação

Em situações como essas, o capitão e porta-voz dos Bombeiros afirma que o primeiro passo é a pessoa forçar uma tosse. "Isso ajuda a empurrar o ar para fora e obter a liberação das vias aéreas", diz ele. Caso não funcione, uma pessoa pode ajudar com a manobra respiratória.

Segundo o porta-voz dos Bombeiros, é preciso se posicionar atrás da vítima colocando a perna direita entre as pernas dela. Em seguida, é necessário envolver os braços por trás dos braços da vítimas entre as costelas e o abdomen. Assim, é possível aumentar a pressão interna do diafragma até que o objeto seja expelido.

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 3 mil pessoas morreram engasgadas somente no ano passado em todo o país. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados