Hebe Camargo morre em casa

Roberto Carlos foi uma das personalidades que compareceu ao velório de Hebe Camargo, no Palácio dos Bandeirantes FOTO: FOLHAPRESS

Faleceu na madrugada de ontem, em sua residência no bairro do Morumbi (SP), a apresentadora e uma das pioneiras da TV brasileira, Hebe Camargo, em consequência de uma parada cardiorrespiratória, em sua casa em São Paulo. De acordo com a assessoria de Hebe, o enterro da artista será hoje, às 9h30, no Cemitério Gethsemani, na Zona Sul da capital paulista.

A saúde da apresentadora já vinha fragilizada desde 2010, quando iniciou sua batalha contra o câncer, sempre armada de bom humor. Naquele ano, Hebe foi diagnosticada nódulos no peritônio - membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo.

Após a cirurgia, fez sessões de quimioterapia para combater a doença. Em março, em meio ao tratamento, voltou a gravar seu programa de TV - à época no SBT, emissora onde trabalhou durante 25 anos.

Em março deste ano, outro obstáculo: um tumor no intestino, retirado com nova cirurgia. Um mês depois, recuperada, embora ainda um pouco debilitada, voltou ao ar, dessa vez na Rede TV!, emissora para a qual trabalhava desde 2011, após se desligar do SBT. Em junho, Hebe retornou ao hospital às pressas, para retirar a vesícula. No mês seguinte, ficou internada por cinco dias para exames de rotina.

Na última quinta (27), Hebe havia anunciado no microblog Twitter seu retorno ao canal de Sílvio Santos. As negociações ocorriam desde junho, mas o formato e a data de estreia do novo programa ainda não haviam sido definidos.

História

Nascida na cidade paulista de Taubaté, em março de 1929, Hebe Maria Monteiro de Camargo ganhou reconhecimento profissional como cantora - inicialmente em apresentações ao vivo em boates; depois, no rádio. Chegou a formas, com sua irmã Stella Monteiro de Camargo Reis, a dupla caipira "Rosalinda e Florisbela".

Sua trajetória, porém, se cruzaria - e, posteriormente, se confundiria - com a da televisão brasileira, a partir da chegada dos primeiros equipamentos de transmissão ao País.

Hebe foi uma das convidadas, junto com outros artistas, pelo pioneiro Assis Chateaubriand para integrar a comitiva que recepcionou no porto de Santos os caixotes com câmeras, antenas e transmissores da futura TV Tupi, em 25 de março de 1950. Só não esteve na transmissão inaugural da emissora, em 18 de setembro daquele ano, porque decidiu acompanhar o então namorado em um compromisso; para tanto, inventou estar doente.

Sua atuação diante das telas foi marcada por características peculiares, entre elas o bordão "Ai, que gracinha!". A lista de entrevistados da apresentadora foi tão longa quanto diversa. Incluiu desde atores e músicos até personalidades como o astronauta Neil Armstrong.
Você tem interesse em receber mais conteúdo do Brasil?