Governo usará laboratório do Exército para produzir cloroquina

Em vídeo, presidente afirmou que ação ampliará estoque do medicamento

O presidente Jair Bolsonaro divulgou na tarde hoje (21), nas redes sociais, um vídeo em que afirma que o hospital Albert Einstein deu início a pesquisas sobre o uso de cloroquina e da hidroxicloroquina - substâncias usadas normalmente no combate ao vírus da malária, no combate ao lúpus e à artrite reumatoide - no combate ao novo coronavírus. 

>Anvisa restringe compra de cloroquina e hidroxicloroquina
>Secretário de Saúde de SP diz que Estado já aplica cloroquina, mas não como agora

 

 

O presidente afirmou ainda que, em parceria com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, usará o laboratório químico e farmacêutico do Exército para ampliar a produção das substâncias. Bolsonaro comentou ainda que o Brasil deverá manter o estoque do medicamento, e que a produção nacional não será vendida a outros países.

Alerta

Os brasileiros não devem comprar hidroxicloroquina para se prevenir contra o coronavírus. O alerta é feito pela pneumologista Margareth Dalcolmo, pesquisadora da Fiocruz. “Não, não devem comprá-los de modo algum.”

"Quem deve usar esses medicamentos são as pessoas com doença autoimune. São pessoas que fazem uso contínuo dessa medicação durante anos de suas vidas e que precisam dela pra controlar as suas doenças e hoje já sentem falta na rede comercial de farmácia, porque foi comprada de maneira indevida", diz Margareth.


Categorias Relacionadas