Dia do Veterinário: conheça a história de luta pela sobrevivência do cachorrinho Cartucho

Médica veterinária conta como é lidar com situações de risco no dia a dia da profissão.

Há cerca de 139,3 milhões de animais de estimação no Brasil. É o que revelam os números levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e atualizados pelo Instituto Pet Brasil, no ano passado. E tendo donos ou não, de pedigree ou sem raça definida (SRD), pequenos ou grandes, eles são sempre capazes de mostrar o tamanho do seu amor e transformar a vida de quem está por perto. Há menos de dez dias, foi o tutor do cãozinho “Cartucho” que precisou fazer de tudo para preservar a vida do seu “amigo”, que foi adotado por ele ainda bem pequeno. 

Legenda: Cachorro Cartucho
Foto: Artur Guimarães/ Divulgação

Depois de ter sobrevivido ao abandono ainda recém-nascido, o cachorro sem raça definida (SRD) está lutando novamente pela vida. Nas últimas semanas, ele deu entrada na clínica veterinária Planeta Animal, localizada em Salvador, sem conseguir andar, com quadro neurológico e insuficiência renal grave. Uma série de exames apontou o diagnóstico de leptospirose. Para complicar a situação de Cartucho, os veterinários Gabriela Azevedo e Diogo Azevedo ainda notaram que existe a possibilidade do cão ter sido picado por uma cobra.

Cartucho apresenta melhoras significativas. Segundo Gabriela, ele chegou bem debilitado: vomitando, com diarreia e sem conseguir andar. Agora, esses sintomas cessaram e ele está começando a se movimentar novamente. “Ele está resistindo a esse desafio e tem grandes chances de voltar a vida normal. Conhecer a história de Cartucho nos move. Somos 10 veterinários aqui na clínica e todo mundo cuida dele. Essa melhora é validada a todos”, assegura Azevedo. 

Os cuidados veterinários são fundamentais para a sobrevivência de animais em estado grave, como o de Cartucho. De acordo com a veterinária, cerca de 15% dos atendimentos realizados nas três unidades da clínica Planeta Animal na capital baiana, em 2018, foram de casos de emergências. “Quanto mais rápido for o atendimento, maiores as chances de manter o animal vivo. A recomendação é que os tutores encaminhem seu pet para o hospital veterinário imediatamente em situações como essa”, afirma Gabriela.

Legenda: Os veterinários Gabriela Azevedo e Diogo Azevedo com o cachorro Cartucho e seus tutores, Camila Guimarães e Artur Guimarães.
Foto: Tatiany Carvalho/ Divulgação

A união faz a força 
Os tutores de Cartucho, o delegado Artur Guimarães e Camila Guimarães, afirmam que o cão é muito bem cuidado. As vacinas estavam em dia, o animal tomava banho semanalmente e só comia ração. “Ele é um cachorro muito inteligente, companheiro e já atendia a alguns comandos como o de sentar. É o nosso mascote da Delegacia de Itaparica. Ele é um verdadeiro guerreiro”, disse Artur. A torcida pela saúde de Cartucho é grande - a equipe da 19ª DP fez até mesmo uma vaquinha para ajudar no tratamento do mascote que só tem oito meses de vida. A equipe da clínica Planeta Animal também está colaborando com os custos do tratamento.

Dia do Veterinário 
Dia do Médico Veterinário é comemorado anualmente no dia 9 de setembro. Esta data celebra a ação dos profissionais responsáveis por cuidar da saúde dos animais. Uma curiosidade: o dia é comemorado hoje, porque foi exatamente nessa data, em 1933, que o presidente do Brasil, Getúlio Vargas, assinava o Decreto Lei nº 23.133, que regulariza a profissão e o ensino da medicina veterinária no país. Mesmo sendo oficializado apenas em 1933, os cursos de formação em veterinária já existiam no Brasil desde 1910.

CONTEÚDO PUBLICITÁRIO ESPECIAL
logo educa mais brasil
Você tem interesse em receber mais conteúdo do Brasil?

Assuntos Relacionados