Com 1.262 mortes em 24h, Brasil bate novo recorde e chega a 31.199 vítimas do novo coronavírus

Total de infectados superou 555 mil com adição de quase 29 mil novos contágios

Legenda: Em cemitério de Salvador, ações de desinfecção com hipoclorito de sódio ajudam a combater o novo coronavírus
Foto: Foto: Secretaria Municipal de Ordem Pública de Salvador

O Brasil bateu, nesta terça-feira, um novo recorde na pandemia do novo coronavírus. Foram 1.262 mortes confirmadas em 24 horas. Com isso, o número de óbitos chega a 31.199 no País. Foram incluídos 28.936 casos de contágio, levando o saldo acumulado para 555.383 infectados.

O aumento dos casos e dos óbitos ocorre no momento em que diversos estados começam a relaxar a quarentena, após meses de confinamento.

Por exemplo, os moradores do Rio de Janeiro começaram  a voltar às praias nesta terça-feira, na fase inicial de um processo de desconfinamento e reabertura econômica que alguns especialistas consideram precipitado, já que a curva de casos de coronavírus continua aumentando.  

"Na situação atual, ainda não é o momento, vocês vai estar jogando gasolina no fogo", alerta Rafael Galliez, médico infectologista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

O plano de abertura gradual anunciado pela Prefeitura entrou em sua primeira fase nesta terça, quando inúmeros surfistas e banhistas voltaram às águas das praias de Copacabana e Ipanema. 

Ainda que o papel das novas medidas proíbam a permanência na areia, vários banhistas tomavam sol em suas cangas na praia de Copacabana, enquanto outros desfrutavam de um banho de mar. 

Em Ipanema, cerca de 30 surfistas se juntaram desde o amanhecer para aproveitar as grandes ondas.

"Setenta dias sem ir na água salgada, eu já estava sentindo muita falta, hoje aproveitei e vim pegar onda, boas ondas", conta o aposentado César Calmon ao sair da água no Arpoador, uma região de Ipanema onde se formam as melhores ondas da cidade.