Profissional 4.0

Analisando as características e mudanças ocorridas no planeta com a 4ª Revolução Industrial, focada na Inteligência e na Conectividade, entendo que os profissionais são obrigados a se reinventarem.

Desafios como Inteligência Artificial, impressoras 3D, comando de voz, Internet das Coisas (IOT), Realidade Virtual e Aumentada, implantes biônicos, robótica, energias alternativas, Bitcoin etc. Forçam-nos a um reaprendizado geral, se quisermos sobreviver no atual Mundo Corporativo. A partir de 2006, já tínhamos contato com facilidades tecnológicas como Iphone, 4G, Kindle, WhatsApp, Spotify. Eis o desafio da Esfinge de Tebas dos tempos presentes. Respondamos à altura os enigmas ou seremos devorados.

Diante de tantas mudanças, estima-se que 50% dos empregos deixarão de existir nas próximas duas décadas, e que 65% das crianças que hoje estão nas escolas, provavelmente, irão trabalhar em funções que não mais existirão.

Para sobreviver no Século XXI, o profissional (Profissional 4.0) deverá adotar novos comportamentos, como trabalhar em Espaços Colaborativos; aplicar as mudanças que propõe e medir seu resultado; ascender por experiências em distintas empresas; filtrar, analisar e interpretar as informações obtidas; decidir o que é ou não urgente; ser multi-device estar sempre conectado.

O processo tende a acelerar-se, na medida em que os dois grandes blocos mundiais, Estados Unidos e China, arregimentam a criação da Gafam, formada pelas empresas exponenciais Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft. Do outro lado, tem a BAT, constituída de Baidu, Alibaba e Tencent.

Os empregadores deverão, cada vez mais, investir no desenvolvimento do seu colaborador, utilizar todos os meios para qualificar, contratar gente que goste de gente, aprender e reaprender, desafiar para desenvolver e ter colaboradores que trabalhem por prazer.


Categorias Relacionadas