Retomada econômica do Ceará desponta no 3º tri, mas ainda não reverte perdas com pandemia

Retorno da indústria após o isolamento impulsionou avanço de 16,7% da economia cearense no período

Indústria
Legenda: A indústria de transformação deu um salto de 60,9% na passagem do 2º para o 3º trimestre
Foto: Reuters

Depois de um tombo de 13,2% no segundo trimestre, no auge das medidas de restrição para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus no Estado, o salto de 16,7% da economia no terceiro, segundo anunciou hoje o Ipece, mostra um nível acelerado de recuperação das atividades cearenses. Embora seja necessário observar esse crescimento com cautela, visto que a base de comparação é muito baixa, não se pode deixar de reconhecer a forte reação do mercado local.

A retomada é ainda mais clara ao se comparar com a média nacional, que avançou somente 7,7% no mesmo intervalo, abaixo das expectativas do Governo Federal. Aqui, os setores mais represados durante o isolamento - indústria de transformação (com um salto de 60,9% em comparação ao trimestre anterior), comércio (35,5%) e construção civil (34,4%) - foram os que mais alavancaram a reação da economia cearense no período.

Os resultados demonstram, portanto, que o plano de reabertura econômica elaborado pelo Governo Estadual juntamente com representantes da iniciativa privada alcançou com sucesso o objetivo de reativar a economia cearense e manter os índices de contaminação da Covid-19 mais baixos. O desafio do Governo agora é, com o repique de casos, encontrar o caminho do meio entre medidas para conter o avanço da Covid-19 no Estado e evitar o bloqueio de parte das atividades econômicas.

Afinal, mesmo com esse vultoso resultado, ainda não foi possível reverter o grave impacto da pandemia sobre as atividades econômicas. No ano, o Ceará ainda acumula uma significativa queda de 5,08%, praticamente a mesma observada na média da economia nacional (5,0%), que deve ser reduzida com o tradicional aquecimento econômico nos últimos meses do ano.

Expectativa

Enquanto novas regras de isolamento específicas para o fim de ano já estão em vigor, parte da responsabilidade de evitar um retrocesso no plano de reabertura nas próximas semanas é da própria sociedade, que deve continuar seguindo os protocolos sanitários para frear o avanço da pandemia. É difícil, afinal, todos queremos nos confraternizar com entes queridos após um ano tão difícil - mas é necessário.

O próximo ano já vai trazer uma série de outras dificuldades que vão pesar no bolso de todos, entre elas o fim do auxílio emergencial, que vai impactar o orçamento de milhões de cearenses e provocar um baque no consumo. Nesse cenário, é essencial que cada um faça a sua parte para evitar o avanço da pandemia - e a vacina já está logo aí.