Plano de jogo do Ceará não funcionou

Confira a coluna desta quinta-feira (11) do comentarista Wilton Bezerra

Montagem com fotos de jogos de Ceará e Fortaleza
Legenda: Ceará e Fortaleza não conseguiram vitórias na 31ª rodada da Série A
Foto: Fausto Filho (Ceará) / Bruno Oliveira (Fortaleza)

Tiago Nunes imaginou o Athletico do seu tempo como adversário e modificou a estruturação de jogo do Ceará.

Ressuscitou o “trio de ferro” (lembram-se de João Marcos, Heleno e Michel ?), com Fernando Sobral, Fabinho e Marlon, levou duas flechas para o ataque – Rick e Mendonça – mas não teve o arco.

Resultado: nada feito, a não ser um chute de Vina, em outro tipo de manobra.

O Athletico não foi o bicho que se esperava. Maior presença no campo do alvinegro, por acionar mais os alas e buscar as viradas de jogo.

Exibiu-se com autossuficiência excessiva e, em uma segunda oportunidade, no primeiro tempo, marcou com Kaiser, em bola lançada nos costados de Gabriel Lacerda.

Um Ceará de linhas menos encolhidas na segunda etapa empatou o jogo, depois de um “tijolo” de Mendonça, que Santos enjoou e Rick completou para as redes.

Depois do segundo gol levado, não teve modificação que conduzisse o alvinegro para o empate.

Cleber, Erick e Lima não devolveram ao time um volume de jogo suficiente para a busca de, pelo menos, um empate.

Perdeu duas posições.

Faltou força ao Fortaleza

O primeiro tempo de Fortaleza e São Paulo foi de causar depressão.

Um vazio de deserto.

Os goleiros Boeck e Volpi não sujaram as vestimentas, pela ausência de oportunidades de gol.

Restou a maior animação do segundo tempo, puxada pelo gol de Robson, em jogada do esforçado Depietri.

O time de Rogério Ceni, com um futebol confuso, teve mais disposição para fazer volume e atacar.

Ao passo que as entradas de Marquinhos e Benitez fizeram diferença a favor do São Paulo, Romarinho e Vargas não ajudaram a arrumar o Fortaleza.

Nem os contra-ataques o Fortaleza imaginou e organizou como saídas.

O belo gol de Benitez, cobrando falta e empatando para o São Paulo, foi um brilho na escuridão de um jogo fraco e sem emoção.

O Fortaleza voltou ao quarto lugar.