A crônica que blinda o Flamengo

A torcida do Flamengo está inebriada pelos feitos do time, mas grande parte dela, imaginamos, não suspendeu totalmente o juízo.

Me incluo entre os que ainda conseguem separar as coisas e enxergar a realidade do jogo, separando o joio do trigo e publicando o último.

Na partida em que venceu do Al-Hilal, por 3 x 1, o rubro-negro desequilibrou-se em cima dos seus sapatos e, com muita sorte, levou para o segundo tempo uma desvantagem de apenas 1 x 0.

O Al-Hilal, que de bobo não tem nada, jogou bonito, sem ser irresponsável, e atacou o Flamengo interrompendo os circuitos entre as linhas rubro-negras.

Bastou isso para que a “rede de proteção” formada pelos analistas entrasse em ação, localizando a ansiedade do time brasileiro como maior problema.

Ué! Esse estado de espírito somente seria aceitável se o adversário fosse um Liverpool, Real, Manchester City ou Barcelona, mas não contra o Al-Hilal, sem tradição nenhuma.

Logo a seguir, se ouviu um comentário-sugestão que o Flamengo deveria atacar pelo lado esquerdo, já que o ala contrário havia sofrido cãibras no último jogo.

Isso é opinar ou torcer?

Quem torce, distorce. Segundo Armando Nogueira.

O treinador Jorge Jesus é outro que virou um profissional infalível, e na opinião dos analistas, acerta até no que deixa de fazer.

Quanto ao adversário, se disse repetidas vezes que a sua defesa era fraca e lenta, embora se visse o Flamengo em apuros para chutar uma bola em gol na fase inicial.

Essa é apenas uma pequeníssima amostragem do que chegou aos nossos ouvidos, durante a transmissão do jogo.

Certo que o Flamengo, sem volume e brilho individual, esbarrou num time que lhe agrediu, embora cedendo fisicamente na segunda fase.

Mas, ignorar as qualidades do adversário não é uma posição saudável, mesmo que seja um hábito recorrente no ambiente do futebol brasileiro.

Normal o desejo que o time de maior torcida do Brasil traga mais uma conquista mundial, mas imperativo que se saiba distinguir as coisas com serenidade.

“Quem elogia todo mundo, não elogia ninguém”. Acho, que essa é de Shakespeare.

O adversário para a decisão de sábado será o Liverpool, que precisou muito do goleiro brasileiro Alisson para dobrar o valente Monterrey do México.

Flamengo x Liverpool, jogo que o mundo saberá apreciar.