Que calor é esse, Fortaleza?

Todo mundo gosta de sombra, mas poucos cuidam das árvores

Legenda: Que calor é esse?
Foto: Jeritza Gurgel

Quando chegam os meses dos “b-r-o-bros”, Fortaleza dá aquela esquentada.

A ladainha é a mesma: “Que cidade quente, meu Deus!”

Dizem que reclamar do calor não resolve. Pode até ser por um lado, mas, por outro, sabe que eu acho que resolve, sim? Vou te dizer o motivo nas próximas linhas.

Adoro árvores. Semana passada, quando estive no Rio de Janeiro, a cidade já estava começando a entrar no clima do verão. E olha que o “errejota” é um caldeirão: cercado de montanhas com água no meio, quando ferve, só mesmo a vegetação para aliviar a vida dos habitantes.

Legenda: Adoro caminhar pelas ruas do Rio de Janeiro. São muito arborizadas.
Foto: Jeritza Gurgel

Lá, as ruas são arborizadas. Árvores centenárias chegam a fechar ruas, formando um lindo corredor. Geram uma sombra agradabilíssima para aqueles que ocupam os espaços urbanos. As pessoas ainda penduram orquídeas que crescem contornado a robustez do caule. Uma poesia a olho nu.

É sempre um lamento para mim quando chego do Rio na minha Fortaleza. Vejo a cidade cada dia mais árida, sem coqueiros na minha orla, com avenidas largas e sem árvores nas calçadas.

Dói meu coração ler a notícia, esses dias, do incêndio na área preservada do Cocó, que atingiu uma área equivalente a cerca de 25 campos de futebol e ainda vitimou vários tipos de espécies animais. Uma estupidez!

Outro dia, acompanhei uma dolorosa discussão quando tentaram derrubar um lindo pinheiro que vi plantar e crescer no edifício onde morei. Ele fica na parte central do imóvel e, honestamente, dá uma elegância ao prédio.

A árvore estava com ramificações e vinha brotando, verde e linda. Pendia para um lado porque, simplesmente, acompanha o sol. Olha que coisa linda da natureza!

Alguns moradores, ao invés de apreciarem isso e procurarem ver um modo de manter esse presente do céu, acharam que era o momento de romper o fluxo divino, alegando que poderia tombar e que atrapalhava a visão frontal de alguns apartamentos. Pasmem!

Os argumentos foram postos abaixo por laudos de profissionais que garantiram a força da natureza.

Ora, se atualmente os edifícios mais caros da cidade contratam paisagistas renomados no Brasil para fazer seus projetos, não me parece uma iniciativa cuidadosa com o próprio patrimônio alguém que tem uma árvore linda e quer tirar.

Lindo é quem sabe valorizar uma preciosidade, como uma árvore no seu jardim, cheia de vida, ramificando-se, querendo multiplicar-se, e, como homem, no mundo, facilitar sua sobrevivência. Isso serve para árvores, pessoas e tudo que quer prosperar na vida.

Olha essa atitude: esses dias, a síndica do meu edifício foi super sensata quando comunicou no nosso grupo de moradores que uma de nossas lindas e antigas palmeiras imperiais tinha sido condenada por estar caindo algumas das folhas secas, e poderia causar sérios prejuízos a quem passasse na hora da queda, tanto pelo impacto da queda da folha como em caso de tombamento do caule devido à altura dela.

Inconformada com o diagnóstico (e todos os moradores também), mas sendo pertinente o alerta, divulgou que tomássemos cuidado na passagem pelo local enquanto providenciava um laudo técnico daquela árvore. 

Viva a Vera (síndica)! Viva os meus vizinhos!

E aí, pensei no papel da árvore na humanidade, em várias culturas e tradições espirituais.  

Lembrei daquela árvore do hinduísmo, onde as raízes das árvores estão no universo e, na terra, somos frutos e flores dela.

Por fim, recordei da árvore da vida, um símbolo bíblico, sagrado, do conhecimento do Bem e do Mal, localizada bem no centro de um jardim chamado Éden. Ela tinha lindos frutos, os quais, atraídos por uma serpente, Adão e Eva comeram e foram expulsos do paraíso.

Não é que cheguei à conclusão de que são as árvores mais lindas que chamam mais a atenção das pessoas? É por isso que jogam pedras para comerem os seus frutos, arrancarem seus pedaços para verem se florescem em outro lugar, né?

Legenda: Árvores frutífera linda no sítio de uns amigos. Apreciei durante uma conversa. Não resisti e fotografei.
Foto: Jeritza Gurgel

Que tal se a gente começar a olhar as árvores mais bonitas e saber apreciá-las sem tirar nenhum pedaço? Deixar que elas cresçam, floresçam, frutifiquem e sigam seu fluxo? Caso estejam atrapalhando seu projeto, contorne!

Plantar mais árvores vai deixar o ambiente mais bonito, mais florido, mais energizado e mais refrescado.

Tudo tem seu tempo, sua beleza, seu espaço e sua vida!

Dominguemos, amém!