"Moro dá mais uma demonstração de mau-caratismo e oportunismo", diz Cid Gomes sobre ex-juiz

Senador fez referência à saída de Moro do Podemos para o União Brasil na quinta-feira (31)

Cid e Ciro Gomes
Legenda: Desistência temporária de Moro tem impactos na pré-campanha do irmão de Cid, Ciro Gomes
Foto: Agência Câmara

O senador Cid Gomes (PDT) voltou a fazer críticas ao ex-ministro Sérgio Moro, que desistiu temporariamente da pré-candidatura a presidente da República e trocou o Podemos pelo União Brasil para disputar cargo de deputado federal por São Paulo. Cid participa, nesta sexta-feira (1º), de evento de filiação de novos nomes ao PDT na Assembleia Legislativa.

"Moro dá mais uma demonstração de mau-caratismo, de oportunismo, ser uma pessoa que só pensa nele mesmo. Vi que nem para comunicar o partido que o acolheu, uma informação, um comunidado ele fez, isso mostra o mau-caráter que ele é", disse Cid.

Moro entrou na disputa como pré-candidato a presidente no final de 2021 e, em poucas semanas, chegou a somar percentual semelhante ao do pré-candidato do PDT, irmão de Cid, o ex-ministro Ciro Gomes. A relação do grupo político do Ceará com o ex-juiz, no entanto, é de críticas desde que Moro surgiu no cenário político do País.

O ex-juiz desistiu de disputar a Presidência da República na quinta-feira (31) e, horas depois, publicou nota em redes sociais, anunciando a filiação ao União Brasil. "O Brasil precisa de uma alternativa que livre o país dos extremos, da instabilidade e da radicalização", afirmou, acrescentando que informou a mudança ao Podemos e que a desistência da pré-candidatura a presidente era temporária. "Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial", pontuou.

A presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, chegou a afirmar, no entanto, de que soube da saída do ex-juiz do partido pela mídia.

Sobre o impasse em torno da pré-candidatura do ex-governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que chegou a indicar desistência da disputa, Cid se limitou a dizer que acredita haver um desentendimento entre Dória e o agora governador do Estado, Rodrigo Garcia.

Cid e Moro

Em 2019, em entrevista ao jornal Correio Braziliense, Cid já fazia críticas às relações políticas de Sérgio Moro.

"Quem muito quer muito arrisca e muito perde. Ele, pelo visto, é ganancioso, não tem nada de magistrado, é um político, tem pretensões, vaidades políticas", disse Cid, quando Moro estava ainda como ministro da Justiça do Governo Bolsonaro.

Em fevereiro de 2020, quando Cid foi baleado no motim de policiais em Sobral, na Região Norte do Ceará, Moro determinou o envio de equipes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal ao Estado, para garantir a segurança do senador. 

Quando Moro foi anunciado pré-candidato, Cid chegou a dizer que a candidatura dele prejudicaria a do presidente Jair Bolsonaro (PL). "A candidatura dele fragiliza a candidatura do Bolsonaro, o tipo de eleitor é mais ou menos o mesmo, especialmente ali no estado dele, no Paraná, (...) onde Bolsonaro tem um percentual maior. A candidatura dele vai, de alguma forma, atrapalhar a candidatura do Bolsonaro, o que considero bom", disse o senador.

O tom de críticas, desde então, só aumentou. 

*Com informações da repórter Luana Barros.



Assuntos Relacionados