Com cenário incerto sobre chapas, vereadores se movimentam para traçar estratégias para o pleito

À espera das definições sobre a formação das chapas proporcionais, vereadores da base aliada do prefeito Roberto Cláudio (PDT) se movimentam para tentar clarear um cenário deveras complicado. Alguns, inclusive, estão contratando consultorias especializadas para comparar dados de pleitos anteriores e fazer projeções para a disputa que se aproxima. Não querem dar um tiro no escuro.

A imprevisibilidade do resultado do próximo pleito, dadas as novas regras, em especial o fim das coligações nas eleições proporcionais, tem elevado o nível de profissionalização das estratégias eleitorais. Consultorias costumam ter um custo alto, e isso é importante de se ressaltar, uma vez que as campanhas para vereador, historicamente, são mais modestas se comparadas àquelas para o Poder Executivo.

Cão de guarda

A ideologia conservadora e o Governo Bolsonaro têm alguns defensores ferrenhos no Ceará. Nos grupos de WhatsApp, alguns empresários já são figuras carimbadas. Um deles, entretanto, tem chamado atenção: Gaudêncio Lucena, ex-vice-prefeito de Fortaleza no primeiro mandato do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e muito próximo do ex-senador Eunício Oliveira (MDB).

Investimentos

Em evento recente no Crato, o governador Camilo Santana exaltou a gestão do prefeito Zé Ailton Brasil, por investir cerca de 10% da receita corrente líquida da cidade. A título de comparação, Camilo usou o Governo Federal: "menos de 5%". Zé Ailton deve ser candidato à reeleição e ter o apoio do grupo governista no município da Região do Cariri.

Outras regiões

Além de Fortaleza, o grupo político liderado pelo deputado federal Capitão Wagner (Pros) quer focar em três outras cidades para as eleições de outubro na Região Metropolitana da Capital e no Cariri. Caucaia, cujo candidato deve ser o deputado estadual Vitor Valim, Juazeiro do Norte, com Francisco Fabiano, e no Crato, o médico Aloísio Brasil deve ser a aposta. As alianças devem ser comandadas pelo Pros e o Podemos.

Há alternativa?

Grupo de empresários que quer participar ativamente do processo eleitoral busca, sem alarde, pelo menos por enquanto, uma alternativa ao candidato do Paço Municipal e também ao grupo de Capitão Wagner em Fortaleza. A julgar pelas alternativas de hoje, é difícil construir uma candidatura viável com um nome totalmente "outsider". Até porque a base partidária é completamente fragilizada por conta das decisões e direcionamentos internos já fechados pelos partidos que se preparam para o jogo.

O deputado Bruno Gonçalves não é afeito ao plenário da Assembleia Legislativa. No primeiro ano da atual legislatura, pouco apareceu. Mas falou em eleição é com ele mesmo. O parlamentar está se preparando para disputar a Prefeitura de Aquiraz, cujo gestor, Edson Sá, deve concorrer à reeleição. 

Desde a última semana, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) tem um novo juiz auxiliar da presidência. Trata-se do magistrado Flávio Vinicius Bastos, que integrava a Comissão do Concurso Público de Serviços Notariais e Registrais e o Comitê de Bens Apreendidos em Procedimentos Criminais do Tribunal de Justiça do Ceará.