Futebol planeja reinício das atividades, mas ainda aguarda autorizações

Clubes, entre eles os cearenses, trabalharam para estar preparados para retomada dos treinamentos

CBF
Procolos médicos da CBF foram desenvolvidos por uma comissão de médicos infectologistas Foto: divulgação / CBF

Tanto no Brasil quanto na Europa, o futebol vive fase de profundo planejamento. Muita teoria, muito estudo para que a atividade esportiva retorne de forma lenta e gradual. Situação inédita para as agremiações, que precisam formular e aplicar procedimentos que ocorrerão logo que as atividades sejam retomadas. A expectativa é que durante o mês de maio os principais clubes do futebol mundial e brasileiro retomem alguns treinamentos (ou pelo menos queiram isso), inclusive entre os times cearenses. A volta dos jogos, contudo, ainda não é conhecida, apesar de algumas ligas, principalmente as europeias, já marcarem a finalização de competições até o mês de setembro.

Ainda não se tem conhecimento pleno do protocolo que será aplicado.  Uma unanimidade é a testagem em massa dos atletas para saber se há infecção recente por coronavírus ou antiga, o que tornaria possível a formulação de um grupo de jogadores já imunizados, que não sofreriam perigo de contágio. O Ceará, inclusive, anunciou a compra de 200 testes de alta eficácia, medida que está em estudo pelo Fortaleza e que deve ser aplicada

>Ceará cria protocolo e planeja retorno na segunda quinzena de maio

Em segundo momento, os treinamentos devem ocorrer em grupos separados com horários agendados para a chegada dos atletas. Uso de máscaras também será uma constante. Outro ponto interessante que deve ocorrer é a chegada dos atletas já devidamente prontos para o treinamento, reduzindo etapa dentro do ambiente dos clubes.

São muitas conjecturas em torno de todo um modus operandi completamente novo do futebol mundial. Mas o fato é que tanto no Brasil, quanto na Europa é grande o movimento para retomada das atividades. Porém, tais desejos ainda se confrontarão com autorizações das organismos de saúde de cada país ou região. E é exatamente neste estágio que está futebol cearense. Até 5 de maio, o isolamento ainda é obrigatório no Estado. Se tal medida for prorrogada, o retorno dos clubes também será prorrogado.

De toda forma, há luz no fim do túnel e, de forma interessante, ela acontece embasada cientificamente e cercada de cuidados por todos que fazem o futebol. Que o movimento siga essa toada, sem pressão e sem pressa.