Polo Químico de Guaiúba já tem obras de implantação de 4 indústrias

Ainda segundo o presidente do Sindquímia, Marcos Soares, os investimentos dessas quatro empresas somam cerca de R$ 30 milhões. 

Começa a tomar forma o Polo Industrial Químico de Guaiúba, na Região Metropolitana de Fortaleza. 

Empreendimento idealizado pelo Sindicato da Indústrias Química do Ceará (Sindquímica) e viabilizado pela parceria com o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal de Guaiúba, o polo já tem obras de construção de quatro empresas do setor. 

O presidente do Sindquímica, Marcos Soares, informou a este colunista neste domingo, 15, que já avançam os serviços de instalação das empresas cearenses Forfix (tintas e colas) e Madeireira Giovani (madeiras de plástico) e da paulista Wana Química (matéria-prima para tintas, comésticos e saneantes). 

Soares adiantou, ainda, que está em fase de terraplenagem a área a ser ocupada pela Interplast, que fabricará embalagens termo-formadas para bolos e pães. 

Ainda segundo o presidente do Sindquímia, os investimentos dessas quatro empresas somam cerca de R$ 30 milhões. 

Inaugurada em junho de 2018, a área física a ser ocupada pelo Polo Químico de Guaiúba receberá 27 empresas dos diferentes segmentos da indústria química, cujos investimentos são estimados em R$ 95 milhões, devendo gerar cerca de dois mil empregos diretos. 

A infraestrutura da área do Polo Químico foi feita pelo Governo do Estado, por intermédio da Adece. Na implantação da malha rodoviária interna, na sua pavimentação e drenagem e, ainda, na instalação de sua rede elétrica, o Governo do Ceará investiu R$ 10 milhões.