Lorenzoni: Brasil, depois da pandemia, terá 35 milhões de pessoas bancarizadas

Segundo o ministro da Cidadania, com a reabertura das atividades econômicas, a expectativa do governo é a de que o comércio terá um bom Natal.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse nesta sexta-feira, 28, durante live realizada pela Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), que o Brasil sairá desta pandemia com cerca de 35 milhões de pessoas inseridas no sistema financeiro, devido ao pagamento do auxílio emergencial de R$ 600,00. 

Segundo ele, trata-se da bancarização de uma parcela importante população, sobre a qual não havia nenhum dado.   

Lorenzoni enfatizou que um dos grandes desafios é equilibrar todas as ações de enfrentamento da COVID-19 e, ao mesmo tempo, as iniciativas essenciais para recuperação da economia. 

Segundo ele, com a reabertura das atividades econômicas, a expectativa do governo é a de que o comércio terá um bom Natal.

O crescimento do setor do agronegócios, a estabilidade dos sistemas de logística e os leilões de petróleo e gás realizados em 2019 e o acordo recém-assinado da renovação da concessão da malha paulista foram destacados pelo ministro como exemplos da retomada que o Brasil terá no segundo semestre.

Outro ponto destacado pelo ministro aos empresários franceses e brasileiros foi a importância da aprovação da reforma tributária. 

De acordo com ele, um dos caminhos é conseguir aprovar uma profunda e radical reforma tributária. 

Desse modo, apontou Lorenzoni, o Brasil vai conseguir melhorar as condições de investimento, diminuir o custo tributário, aumentar a confiança e fomentar novos negócios diante da diversificação de mercados potenciais.