Grendene, com 10 fábricas no Ceará, lucra R$ 208 milhões

Empresa dos irmãos Pedro e Alexandre Grendene registra no terceiro trimestre receita líquida de R$ 671 milhões. E mais: 1) Hub do H2V gera boa expectativa; 2) Marquise lança novo Mandara; 3) Alyne Cosméticos celebra 35 anos

Legenda: Com 10 fábricas no Ceará, a Grendene tem lucro de R$ 208 milhões no 3º trimestre deste ano
Foto: Divulgação

Festa na Grendene, maior indústria calçadista do Brasil, com unidades de produção no Ceará, a maior das quais em Sobral: a empresa dos irmãos Pedro e Alexandre Grendene obteve, no terceiro trimestre deste ano um lucro líquido de R$ R$ 208,1 milhões.

A Grendene é uma empresa de capital aberto, com ações negociadas na Bolsa de Valores.

Seu balanço financeiro, divulgado ontem à noite após o encerramento do pregão da B3, revela que a receita líquida da empresa nos meses de julho, agosto e setembro, alcançou R$ 671,4 milhões, 6,4% maior do que a do mesmo período de 2020.

O resultado da Grendene no terceiro trimestre de 2021 foi reflexo do efeito positivo do mix das linhas comercializadas e do preço dos produtos vendidos, diz o relatório encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A Grendene está investindo R$ 30 milhões na expansão de sua fábrica na cidade do Crato, na região do Cariri, no Sul do Ceará. Na cidade de Sobral, na região Norte cearense, ela tem oito unidades que empregam 20 mil pessoas. A empresa tem mais duas fábricas em Fortaleza. 

A propósito de balanços: ontem, saiu também o resultado finnceiro da Petrobras relativo ao terceiro trimestre de 2021. A estatal obteve um lucro de R$ 31 bilhões. Em 2020, ela regoisrou prejuízo.

HUB DO HIDROGÊNIO GERA BOA EXPECTATIVA

Há uma crescente expectativa em torno dos mais de 10 Memorandos de Entendimento que o governo do Ceará já celebrou com grandes empresas nacionais e internacionais que demonstram interesse em investir, aqui, em projetos de produção de Hidrogênio, com os quais este Estado poderá transformar-se, como é o sonho do governador Camilo Santana e do seu secretário do Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior, num Hub do que já é chamado de energia do futuro próximo. 

A perspectiva é otimista: somados, esses projetos já anunciados alcançam uma montanha de mais R$ 100 bilhões. 

Porém, por enquanto, todo esse esforço – que vai na direção correta do futuro do mundo sustentável que todos desejamos – não passa mesmo de expectativa, que cresce à medida que novos memorandos são assinados. 

Nos governos petistas dos presidentes Lula e Dilma, o Ceará viveu uma experiência semelhante com a perspectiva de instalação de uma refinaria de petróleo no Complexo do Pecém, mesma geografia onde deverão ser construídas as unidades que produzirão o H2V. 

Houve de tudo na época, até o lançamento de uma pedra fundamental da refinaria, que, pouco tempo depois, se revelou uma fraude (o governo do Ceará gastou alguns milhões de reais em providências que resultaram frustradas). 

Desta vez, todavia, a boa expectativa é suportada pela constatação de que, agora, não há empresa estatal envolvida no projeto do H2V. Assim, a chance de uma nova fraude é zero.

Mais: o governador Camilo Santana e seu secretário Maia Júnior estão vacinados não só contra a Covid, mas também contra quem pretender ludibriá-los nesse empreendimento que poderá mesmo tornar o Ceará um produtor de Hidrogênio Verde (sim, verde, porque na sua produção serão utilizadas energias renováveis). 

O projeto cearense do Hub H2V será apresentado na COP 26, a conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que se instalará na próxima segunda-feira, 1º de novembro, em Glasgow, na Escócia. O engenheiro Joaquim Rolim, coordenador do Comitê de Energia da Federação das Indústrias do Ceará, fará a apresentação, ocupando parte do tempo destinado à delegação brasileira na conferência. 

MAIS UM MANDARA DA MARQUISE

Faltam pedreiros, bombeiros hidráulicos, pedreiros de acabamento nos canteiros de obras das construtoras de Fortaleza e, também, para atender à demanda de famílias que pensam em reformar sua casa neste fim de ano. 

Isto prova que a construção civil retomou o mesmo ritmo de atividade de antes da pandemia. Eis outra prova: a Construtora Marquise, uma das grandes do setor imobiliário do Ceará, juntou-se à Cyrela para lançar mais um empreendimento na Praia das Dunas com sua marca Mandara – ela já construiu o Mandara Kauai e o Mandara Lanai. 

O novo projeto, elaborado pelos arquitetos Marcelo Franco e Benedito Abbud, será construído na mesma área dos Mandara originais, tendo apartamentos de 120 m², 135 m², 170 m² e 200 m². As vendas começarão nos próximos dias.

BANCOS POR CONTA PRÓPRIA

Informa a Federação Brasileira de Bancos: Em razão da reabertura da economia e do processo de flexibilização do isolamento social no país, a Febraban informa que cada banco associado adotará política própria de abertura e horário de funcionamento de suas agências, de acordo com suas características e estratégias internas. 


Pelo fato de o perfil da demanda de cada instituição financeira ser diferenciado, não haverá um processo padronizado para retorno ao horário anterior à pandemia.


No período de isolamento social, a utilização dos meios digitais, como mobile banking e internet banking teve grande expansão, consolidando essas plataformas como majoritárias na preferência dos consumidores brasileiros.

ALYNE COSMÉTICOS: 35 ANOS

Festa no Grupo Alyne Cosméticos, que festeja seus primeiros 35 anos de exitosa atividade, parte dos quais com o nome de Cigel.

Sua unidade industrial, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, fabrica 270 produtos de beleza e higiene pessoal que são comercializados com as marcas Alyne Cosméticos, Aseplyne, Delicadern, Repele Mais e Pure.

A empresa mantém um portfólio de mais de 1 mil clientes (pessoas jurídicas) espalhados pelos estados do Nordeste e do Norte.

O empresário Paulo Gurgel, diretor-fundador da Alyne Cosméticos, revela que os produtos de sua empresa são consumidos em 18 estados, prometendo para o curto prazo sua expansão para todo o país.

SINDIALIMENTOS HOMENAGEIA FIEC

Na próxima quarta-feira, o Sindicato das Indústrias da Alimentação e Rações Balanceadas no Estado do Ceará (Sindialimentos), presidido pelo empresário André Sioqueira, promoverá almoço na cobertura do edifício-sede da Fiec para celebrar 45 anos de atividades.

Na ocasião, a entidade prestará homenagem ao presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante, entregando-lhe a Medalha do Mérito José Flávio Costa.

 

O saudosoJosé Flávio Costa Lima foi o primeiro presidente do Sindialimentos e também presidiu a Federação das Indústrias do Ceará.