Empresários aplaudem Unifor pela criação de MBA do Agronegócio

Foco será voltado para o agro do Nordeste, e o curso foi criado e será desenvolvido com o olhar regional, anuncia a professora Mariana Mota, uma de suas coordenadoras.

Empresários cearenses da agropecuária celebram a notícia, divulgada ontem pela edição digital desta coluna no portal do Diário do Nordeste, da criação do MBA do Agronegócio da Unifor, cujas aulas começarão no próximo mês de novembro. 

“Estamos de parabéns, a Unifor porque criou o inédito curso de especialização e nós da agropecuária, que agora contaremos com o apoio efetivo da academia”, como disse Carlos Prado, fundador da Itaueira Agropecuária e vice-presidente da Fiec.

Luís Roberto Barcelos, sócio e diretor institucional da Agrícola Famosa, com sede em Icapuí e maior produtora e exportadora mundial de melão, tocou a mesma música: 

“Com certeza, esse MBA da Unifor qualificará os executivos do Ceará vocacionados para a agricultura e a pecuária”, afirmou ele. 

A expectativa do empresariado é que o MBA do Agro da Unifor tenha um foco nordestino, “uma vez que o agronegócio do Sul, do Sudeste e do Centro-Oeste é diferente do que se pratica aqui no semiárido nordestino”, opinaram Edson Brok e João Teixeira, produtores de banana na Chapada do Araripe (a empresa de Brok é maior exportadora de banana do País). 

“Sim, nosso foco será voltado para o agro do Nordeste, e o curso foi criado e será desenvolvido com esse olhar regional”, anunciou a professora Mariana Mota, que, com sua colega Adriana Oliveira, coordenará o MBA, cuja grade técnica foi desenhada por Fabiano Mapurunga, CEO da Agropaulo Agroindustrial, uma empresa do Grupo Telles, controlado pelo empresário Everardo Telles. 

A professora Mariana Mota impressiona-se com o “crescimento tão robusto e tão rápido” do agronegócio cearense, destacando a coragem e a ousadia dos que investiram e seguem investindo nele, abrindo milhares de empregos formais no interior do Ceará e dos outros estados do Nordeste. 

Cristiano Maia, maior criador brasileiro de camarão, resume assim seu otimismo em relação ao MBA do Agronegócio da Unifor: 

“Se, de modo empírico e prático, já mostramos do que somos capazes de fazer com nossos próprios esforços, imagine agora, com o auxílio da academia”.
 
IMPOSTO

Tem razão o ministro Paulo Guedes, quando diz que os bancos – que são contra a criação de um imposto para taxar as transações digitais, como pagamentos pelo celular, por exemplo – cobram altas taxas pelas transferências que seus clientes fazem por meio de DOCs ou TEDs.
 
De acordo com Guedes, a taxa cobrada hoje por uma TED é 10 vezes maior do que o valor do imposto que o governo deseja cobrar pelas transações digitais, que só fazem crescer.

AMBEV

Bons resultados da Ambev no terceiro trimestre deste ano (julho, agosto e setembro). A receita líquida cresceu 21,2% em relação ao mesmo período de 2019, chegando a R$ 7,7 bilhões. 

O volume total de vendas (cerveja e não alcoólicos) aumentou 19,8% para 28,4 milhões de hectolitros, com crescimento de 1,2% na receita por hectolitro. 

Em cerveja, o volume de vendas aumentou 25,4% para 21,8 milhões de hectolitros. 

A receita líquida da venda de cerveja alcançou R$ 6,7 bilhões, e a receita por hectolitro caiu 0,2%. No segmento de bebidas não alcoólicas, o volume de venda aumentou em 4,3% no trimestre, totalizando 6,6 milhões de hectolitros.

ILEGAIS

Em carta aberta às autoridades e à população, o Instituto Brasileiro da Cachaça e o Núcleo pela Responsabilidade no Comércio e Consumo de Bebidas Alcoólicas no Brasil fazem uma denúncia: os destilados ilícitos já correspondem a 37,9% do volume comercializado no Brasil. 

São mais de 130,7 milhões de litros ilegais que circulam anualmente no país. Custando até 70% menos, eles colocam a saúde da população em perigo e ainda drenam os cofres públicos. 

De acordo com a consultoria Euromonitor, só em 2017 o governo deixou de arrecadar R$ 5,5 bilhões por conta do mercado ilegal, mas o setor teme que esse montante seja ainda maior em 2020.

CLÍNICA

Ocupará 600 metros quadrados do Mezanino Norte do edifício BS Design a clínica odontológica Dr. Jório da Escóssia. Ela deverá ser inaugurada até o fim do primeiro trimestre de 2021. 

A propósito: Geraldo Luciano Matos Júnior informa que seu escritório de consultoria irá ocupar quatro salas do BS Design, até fevereiro do próximo ano.

CINQUENTENÁRIO

Reunindo empresas de serviço que atuam nas áreas de limpeza, higienização e segurança patrimonial, o Grupo Serval – pilotado pelos sócios Luiz Fernando Bittencourt e Fabiano Barreira da Ponte, celebra nesta sexta-feira, 30, seu cinquentenário com o selo Great Place to Work, que lhe foi entregue no último dia 21. 

O grupo é um dos pioneiros da terceirização no Ceará, estando hoje sob a batuta da terceira geração de administradores.

SEM VERGONHA

Segundo o ex-governador Gonzaga Mota, a política é dinâmica. 

"E tambem sem vergonha", diria, se vivo fosse, o agropecuarista e filósofo maranguapense Zé Colares.

SÃO FRANCISCO

Informa a Chesf: a partir de hoje, 30, a vazão do rio São Francisco, a partir da barragem de Sobradinho, saltará dos atuais 800 m³/s para 2.600 m³/s. 

Essa vazão vai encher as barragens das hidrelétricas à jusante de Sobradinho e, depois, seguirá até o mar na foz do rio. 

Serão 2.600 m³/s despejados no oceano. 

Enquanto isso, o Comitê da Bacia do Velho Chico continua negando o aumento da vazão dos canais Norte e Leste do Projeto S. Francisco de Integração de Bacias, que passaria, reparem, dos atuais e nanicoos 26 m³/s para franciscanos 50 m³/s. 

COVID

Flávio Ataliba, secretário de Planejamento e Orçamento do governo do Ceará, participará quarta-feira, 4, de vídeo conferência promovida pela Fundação Getúlio Vargas. 

O tema a ser debatido serão “os impactos da pandemia na gestão pública”.
 
Participarão, também, os secretários de plenajemtno do Rio Grande do Sul, Marco Aurélio Cardoso, e o pesquisador associado da FGV/Ibre, Manoel Pires.

SEGURO DE CARRO

Anuncia a Associação das Empresas Seguradoras: como caiu, por causa da Covid-19, o número de acidentes nas estradas do País, o valor do seguro dos automóveis será reduzido. 

E há seguradoras que, na renovação anual do seguro, já estão a reduzir ess prêmio e devolvendo o que foi pago a mais.

Mas, calma, leiores! Tudo isso é em Portugal. Jamais seria aqui no Brasil.
 



Assuntos Relacionados