Ximenes: Ceará não tem seca, ele fica seco

Na semana passada, desabou sobre a geografia do Município de Pedra Branca, no sertão cearense, uma chuva equivalente a 172 milímetros. É o dobro da pluviometria que se registra, anualmente, em Israel. Nos anos anteriores de 2018 e 2019, as chuvas caídas sobre o Ceará tiveram, também, excelente índice pluviométrico, não tendo sido, porém, suficiente para a recarga dos seus grandes açudes. "O Ceará, onde chove muito, não tem seca; ele fica seco" - diz o engenheiro Fernando Ximenes, dono da empresa Gram Eollic, que trabalha com água e energia. Ele afirma - sem meias palavras - que "existe (aqui) a indústria da seca, justificando as incompetências das gestões e trazendo riqueza para um pequeno clero". Ximenes não localiza nem identifica esse clero, mas, nas palestras que faz em auditórios universitários e empresariais, repete a crítica de que, no Ceará, a água da chuva que cai é mal aproveitada. E cita como exemplo a cidade de Fortaleza que, por falta de uma política de represamento da água pluvial, manda para o mar, anualmente, os mais de mil milímetros que a natureza a presenteia ao longo da estação chuvosa. Mas não é só Fortaleza que desperdiça a água da chuva. Nas cidades do Litoral e do Cariri, onde também chove muito, as águas também se perdem por falta de uma gestão inteligente. Este é um tema apaixonante, máxime agora, quando está começando o que nós cearenses chamamos de inverno.

Mudou

Não é só a tecnologia que está mudando o mundo. A nomenclatura das coisas, também. Antigamente, a divisão de uma grande área de terra em pequenos lotes tinha o nome simples de loteamento. Agora, virou cidade inteligente - e alguns projetos fazem jus ao nome, pois oferecem a infraestrutura de água, esgoto, energia, drenagem, telecomunicação e pavimentação. Opinião de um corretor: "Antes de entrar em uma aventura - aconselho pesquisar sobre a origem e a vida pretérita do empreendedor. E o Google está aí para isso".

Meritocracia

Empresários entoam louvores ao secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto, que enfrenta a pressão de maus políticos contrários ao concurso público para a escolha dos novos gestores dos Consórcios Municipais de Saúde. Ele quer, corretamente, que a escolha dos gestores seja pela meritocracia. Alguns prefeitos e deputados querem manter seus indicados.

Sobe

Fintech cearense, a Somapay transformou-se numa plataforma de serviços financeiros conectando parceiros, seguradoras, microempreendedores, bancos e trabalhadores. E tornou-se a primeira daqui a entrar no Banco 24 Horas por meio do Hub Digital, segundo anúncio oficial do Tec Ban, na semana passada.

Desce

Cinquenta famílias de três condomínios situados na Rua Joaquim Nabuco, entre a Afonso Celso e a Torres Câmara, no coração do bairro Aldeota, seguem pedindo à Prefeitura que troque o sensor ou a lâmpada de um poste de iluminação em frente ao nº 141. A área está transformada em trevas há 1 mês, quando tudo queimou.