Duas torres de 54 andares, uma ao lado da outra, no Mucuripe

A exemplo da primeira torre em construção - que terá 54 pavimentos, dos quais 46 com um apartamento de mais de 500 metros quadrados de área - a segunda terá também sete pavimentos de estacionamento de veículos, um de lazer e mais 46, cada um com dois apartamentos de 235 metros quadrados de área

Reunida antes do Carnaval, a Comissão Permanente do Plano Diretor de Fortaleza aprovou o projeto de construção da segunda torre do projeto Operação Consorciada Riacho Maceió.

Trata-se do segundo empreendimento que a Construtora Colmeia erguerá na margem esquerda do Riacho Maceió, na Avenida Beira Mar, bem defronte para a praia do Mucuripe.

A exemplo da primeira torre em construção - que terá 54 pavimentos, dos quais 46 com um apartamento de mais de 500 metros quadrados de área - a segunda terá também sete pavimentos de estacionamento de veículos, um de lazer e mais 46, cada um com dois apartamentos de 235 metros quadrados de área, cujas vendas começarão nos próximos dias.

O primeiro edifício, que será o mais alto do Ceará, ficará pronto em quatro anos e se chamará One, e está totalmente vendido; o segundo já foi denominado de Sky ( Céu).

O sócio e CEO da Colmeia, Otacílio Valente, mantém o otimismo: "A economia melhora", diz ele.

Estratégias

Juntaram-se o capítulo cearense do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças (Ibef), a Castelo Borges Segurança e a Protekseg Tecnologia para - aproveitando o ambiente conflagrado pela rebelião de uma parte da PM e do Corpo de Bombeiros Militar - promover um Café com Debate sobre "as novas estratégias em segurança pública".

Será no dia 5 de março, às 7h30, no Edifício BS Design, na Aldeota.

Coronavírus

Se na Itália, um país desenvolvido, a epidemia do coronavírus - o Covid-19 - alastra-se na velocidade do raio, causando em uma semana mais de uma dezena de mortes e graves prejuízos à sua economia (em Milão e em Veneza estão fechados bares, restaurantes, teatros, museus, catedrais católicas, os hotéis amargam o cancelamento de reservas, o que repercute também no transporte aéreo e ferroviário) - imaginem o que acontecerá no Brasil - o Ceará no meio - quando começarem a surgir os primeiros casos de infecção.

O primeiro já se confirmou em São Paulo).

Água

Pelos números da Funceme, o conjunto de açudes que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza - Pacajus, Pacoti, Gavião, Riachão, Aracoiaba e Maranguapinho - já acumula água suficiente para a travessia deste 2020.

Isto significa que o Castanhão, hoje com apenas 2,5% de sua capacidade total de 6,5 bilhões de metros cúbicos - deixará de mandar água para cá.

Uma boa notícia para a agricultura irrigada da região do Baixo Jaguaribe.

A torcida é para que as águas do S. Francisco cheguem logo ao Castanhão.

Mas isso só acontecerá em julho ou agosto, se Deus ajudar.

Expectativa

Se o Fortaleza Esporte Clube ganhar hoje do argentino Independiente, pela Copa Sul-Americana, haverá festa no Castelão!

Porém, se perder...