Crise: esta é uma uma semana decisiva para a política e a economia

Hoje, o ministro Celso de Mello, do STF, decidirá sobre se autoriza ou não a divulgação de todo o conteúdo gravado da reunião ministerial do dia 22 de abril, na qual houve de tudo, de palavrões contra ministros do Supremo até críticas pesadas contra a China, maior parceiro comercial do Brasil.

Image-0-Artigo-2678854-1

Esta semana é importante para a política e para a economia do País - o Ceará no meio.

Na cena política, sai hoje a decisão do ministro Celso de Mello, do STF, que decide se deve ser divulgada a íntegra da gravação da reunião ministerial do dia 22 de abril.

Nessa reuniáo, houve de tudo, até palavrões contra os 11 magistrados do Supremo, cuja prisão também foi sugerida, além de críticas duras ao governo chinês, sem se falar, naturalmente, da interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal.

Se tudo que foi dito, ouvido e gravado for divulgado, a semana poderá terminar caótica para o presidente e para a economia.

Além disso, surgiu uma informação, transmitida pelo empresário Paulo Marinho - em cuja casa, em 2018, funcionou o comando da campanha presidencial de Jair Bolsonaro - segundo quem um delegado da Polícia Federal avisou o então eleito senador Flávio Bolsonaro sobre a "Operação Furna da Onça", que investigaria denúncia de "rachadinha" em gabinetes de deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, incluindo o dele, cujo coordenador era Fabrício Queiroz, cujas contas bancárias movimentaram milhões de reais.

Detalhe: Paulo Marinho é suplente do senador Bolsonaro.

Na área econômica, teme-se pela demissão da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que pode ser considerada a que mais resultados mostrou até aqui, juntamente com o seu colega Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura.

Em processo de negociação com o Centrão (quem diria, hein?), Bolsonaro pode trocar Tereza pelo ex-deputado Nabhan Garcia, secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, amigo íntimo do presidente da República, mas sem apoio dos líderes do agronegócio.

A ministra tem se manifestado contra a posição anti-China assumida pela ala ideológica do governo.

Os chineses são os maiores importadores da soja e das proteínas produzidas no Brasil.

Em abril passado, 72% da soja exportada pelo Brasil foram para a China.

Ainda em abril, as exportações do agronegócio passaram, pela primeira vez, dos US$ 10 bilhões. Isto representou um faturamento 25% superior ao de abril do ano passado.

Tirar Tereza Cristina para colocar Nabhan Garcia será reduzir a importância da agricultura no governo, privilegiar a política do fisiologismo, desprestigiar o setor que carrega nas costas a economia do País e comprar briga com os agropecuaristas e agroindustriais.

Neste momento, Bolsonaro tem uma única preocupação: a possibilidade de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, forçado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal, ter de aceitar e iniciar o processo de impeachment, um filme que o brasileiro já sabe como termina.

Mas, pelo que se viu ontem, Tereza Cristina permanecerá. Bolsonaro levantou o braço dela para o aplauso de milhares de seus apoiadores reunidos em frente ao Palácio do Planalto.

Mas o temperamento do presidente muda como a nuvem.

INTOLERÂNCIA

Com a palavra o jornalista Mauro Costa, da AD2M, uma empresa de comunicação que criou o Cenário Covid-19, uma "letter" (carta) diária com informações sobre esta pandemia:

"Em velocidade tão grande quanto à do coronavírus, um outro vírus espalha-se pelo Brasil, ganhando espaço e debilitando a saúde do País - o da intolerância.

"Ele começa atacando as pessoas com sintomas estranhos, como a aversão ao diálogo, alergia a opiniões distintas da sua, uma palpitação nervosa com picos de pressão que causam cegueiras momentâneas e um ato reflexo de sempre procurar um culpado quando se está sendo criticado.

"É fato que, nos últimos anos, um estranho cabo de guerra tem se tornado habitual quando se fala em qualquer tema que rodeia a política.

"O pior de tudo é que essa doença do culto ao conflito e à cisão está sendo estimulada e disseminada de maneira pouco responsável e aparentemente cheia de interesses.

"Que, assim como no caso da Covid-19, se encontre em breve uma vacina para ela".

Esta coluna entende que, em países de políticos mais responsáveis, oposição e situação unem-se em crises como esta da pandemia do coronavírus. No Brasil, porém, os dois lados fazem questão de desunir-se.

HAPVIDA

Adotando para os pacientes de seus 39 hospitais - logo no início dos sintomas da Covid-19 - o protocolo de uso da Hidroxicloroquina associada à Azitromicina, o grupo Havida, pela voz de seu presidente Jorge Pinheiro, informa: somente no Ceará, já foram recuperados 750 pessoas que estavam infectadas.

Maior sistema de saúde suplementar do País, o Hapvida tem hoje seis milhões de clientes e um time de 30 mil colaboradores, 15 mil médicos e 15 mil dentistas.

Além disso, conta também com 185 clínicas médicas, 42 prontos atendimentos e 179 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

REABERTURA

Empresários cearenses do comércio, da indústria e do serviço - o turismo no meio dessa expectativa - aguardam as próximas decisões do governador Camilo Santana sobre a possibilidade de reabertura das atividades econômicas.

Uma fonte do governo admitiu que o governador já se preocupa com as consequências sociais do isolamento rígido.

"Camilo é sensível ao drama do desemprego", disse a mesma fonte, "porém ele é mais sensível ainda à saúde da população".

Por esta razão, o governador leva em alta conta o que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS), e essa recomendação é, ainda, pelo isolamento social, que no modo rígido - aqui no Ceará - valerá até quarta-feira, dia 20.

IBYTE

Acredite! a rede Ibyte de lojas de eletrônicos está operando a pleno pelo modo delivery, não só em Fortaleza mas nas demais cidades do Nordeste onde ela tem filiais.

Sua central de pedidos, que se localiza em Fortaleza, sede da empresa, trabalha em regime de tempo integral para atender aos pedidos.

Há, porém, itens em falta.

ESCURIDÃO

Alô, alô, iluminação Pública de Fortaleza!

Uma árvore, localizada em frente ao nº 1441 da Rua Joaquim Nabuco, cresceu demais e seus galhos alcançaram o poste da Enel.

Nesse poste,está fincada uma lâmpada, cujo sensor foi danificado.

Por favor, troque o sensor e faça podação da árvore.

Por enquanto, o que existe lá é muita escuridão.