“Ceará Veloz” quer estado menor

Uma excelente Carta de Intenção – eis como pode ser traduzido o “Ceará Veloz”, um projeto coordenado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior, cujo objetivo é o de estabelecer neste Estado um ambiente para os negócios sem similar no País. Ele foi lançado, ontem, pelo governador Camilo Santana em concorridíssima solenidade no Palácio da Abolição. O plano de Camilo pretende, em primeiro lugar, inacreditavelmente para uma gestão petista, reduzir a ação do Estado à Saúde, à Educação e à Segurança Pública. Em seguida, quer desburocratizar a máquina estatal; centralizar num só espaço físico os organismos que abrem e fecham empresas e fazem o licenciamento ambiental, apontado por empresários como o inimigo público número um de quem quer produzir e trabalhar; digitalizar o Estado e toda a sua enferrujada estrutura administrativa; e garantir segurança jurídica ao investidor nacional e estrangeiro. A intenção é inquestionável. Mas entre o sonho e a realidade há uma cultura burocrática tradicional que cria dificuldades para a venda de facilidades. Hoje, mesmo com a sofisticação digital, a burocracia (para dizer o mínimo) dos organismos estaduais responsáveis pelo registro de uma nova empresa exige muito mais do que simples documentos. 

Veloz ou vexado?

No discurso com que parabenizou o governador Camilo Santana pelo “Ceará Veloz”, o presidente da CDL de Fortaleza, Assis Cavalcante, sugeriu que o nome do projeto seja mudado para “Ceará Vexado”, “pois assim estará mais adequado à nossa cearensidade”. O auditório riu e aplaudiu. O governador, ao detalhar o projeto, concordou com a sugestão e chegou a propor ao chefe de sua Casa Civil, Élcio Batista, que estude a possibilidade dessa troca. Mas nada mudará. Será Ceará Veloz.

Cauype

Está feliz o empresário Luciano Cavalcante, empreendedor da Cidade Cauype, projeto imobiliário criado pelo arquiteto Jaime Lerner e em implantação na geografia de S. Gonçalo do Amarante e cuja primeira etapa foi inaugurada sábado passado. A alegria tem motivo: 50% dos lotes já foram comercializados.

Liberado

Glória a Deus! É o que estão a dizer os motoristas de veículos leves e pesados que diariamente trafegam pelo IV Anel Viário. Eles agora estão livres do congestionamento que por mais de cinco anos infernizou seu orçamento de tempo por causa do viaduto sobre a CE-060, na altura da Ceasa, finalmente concluído e liberado no sábado passado. O Anel Viário está sendo duplicado, agora em alta velocidade, com dinheiro federal e estadual.