Castelão vira caso de "business" para a CBF

Surpreende-se a mídia nacional com a performance financeira dos dois clubes cearenses na Série A do Campeonato Brasileiro de Futebol. O Ceará e o Fortaleza têm as contas em dia - ao contrário da maioria dos seus demais 18 concorrentes. Isto significa pagamento também em dia dos salários dos seus treinadores, jogadores e funcionários. Como isto tem sido possível? Resposta: pelo planejamento responsável, que, resumidamente, quer dizer o seguinte: aqui a despesa é igual ou inferior à receita. O êxito técnico do Fortaleza - que ganhou o direito de disputar a Copa Sul-Americana, com estreia no próximo fevereiro contra o supercampeão argentino Independiente - é reflexo da austera gestão de sua profissionalizada diretoria e consequência do marketing criativo e do apoio de sua gigantesca torcida, cujos sócios-torcedores, que eram pouco mais de 5 mil havia dois anos, já são mais de 30 mil hoje. O Ceará, por sua vez, incentivado por uma torcida multitudinária e apaixonada, tira proveito do mesmo padrão de gestão e, agora, investe na escalação de um time mais competitivo do que o do ano passado. Este 2020 poderá ser o ano da consolidação do futebol cearense na elite do futebol brasileiro, e seu modelo de gestão poderá transformar-se em um "case" de sucesso. A rivalidade entre alvinegros e tricolores - longe de ser um pomo belicoso - deve ser entendido como mais uma fonte de faturamento. Não é sem razão que a CBF passou a enxergar o Castelão com o olho guloso do "business".

Varejo

Assis Cavalcante, presidente da CDL Fortaleza, e Honório Pinheiro, ex-presidente da entidade, participaram da Retail's Big Show, maior feira mundial do varejo, que reuniu até terça-feira, 14, em New York, 40 mil empresários de 16 mil empresas do setor, vindos de 99 países dos cinco continentes. Os dois estão retornando com uma certeza: o autoatendimento é irreversível, veio para ficar. Mais: os futuros empregos do varejo serão ocupados por profissionais que dominem as tecnologias. Assis e Honório, porém, mandam dizer à coluna: "No Estado do Ceará, o varejo acompanha o avanço dessas tecnologias".

Normatel

Hoje, às 19 horas, no auditório do BS Design, o grupo Normatel realiza sua convenção anual, que reúne, exclusivamente, seus fornecedores e convidados.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o Brasil já está "bastante adiantado" sobre a entrada na OCDE. Com as negociações entre o Governo Federal e os Estados Unidos, de Trump, podemos ser os próximos a integrar o bloco. A intenção dos EUA em priorizar o Brasil mostra que o mundo está recuperando a confiança na nossa economia

Está nas gôndolas de supermercados o "Queijoveg Minas Frescal de Castanha de Caju", que se diz vegano. Industriais cearenses do leite denunciarão esse produto à Vigilância Sanitária e à Adagri por dois motivos: não existe o Queijo Minas Frescal de castanha de caju e o produto não é certificado. É pois uma verdadeira fraude