Lula, Cuba e a lição de Saramago