Ceará já tem setor de análise de mercado em funcionamento interno

A medida vai "ampliar o leque" do clube no mercado de contratações e deixar a busca por reforços mais aprofundada e criteriosa

ceara
Legenda: Bruno Pacheco e Vina são dois jogadores contratados pelo Ceará em 2020
Foto: Felipe Santos/Cearasc.com

O Ceará tem o desejo antigo de montar um setor específico para análise de mercado para contratações, como o colunista Alexandre Mota já havia antecipado. Isso não é surpresa. A novidade é de que este setor já está em funcionamento dentro do clube.

Quem revelou foi o analista de desempenho do Alvinegro, Arthur de Vito, em entrevista exclusiva ao programa Debate Jogada, na última quinta-feira (5) - veja entrevista completa abaixo.

"Já temos pessoas que estão contribuindo com o processo de mercado. Não somos eu e Alcino (Rodrigues, outro analista de desempenho do clube), são pessoas que trabalham direto com o Jorge (Macedo, executivo de Futebol), caminhando para a montagem do departamento", revelou Arthur.

Powered by RedCircle

Apesar do funcionamento interno já ocorrer na prática, a pandemia impediu que o setor já fosse oficialmente institucionalizado.

"Eles preferiram, e acredito que foi uma decisão acertada, até por conta da pandemia, fazer de uma forma mais calma para depois realmente institucionalizar esse departamento. Mas respondendo a pergunta, já tem pessoas 100% voltadas para a parte de mercado, trabalhando com o departamento de futebol. Mas a gente dissociou quase 100% departamento de análise de desempenho com o departamento de análise de mercado", explicou.

A decisão de separar análise de mercado de análise de desempenho é algo que já ocorre em vários clubes do Brasil e do mundo.

"É uma tendência essa dissociação entre departamento de análise e de mercado, por diversos fatores. Em alguns clubes, o departamento já fica em outro lugar que não seja o CT, exatamente para não ter essa questão de que o cara estar numa sala olhando jogadores para contratar no lugar dos que estão transitando ali. É uma tendência que já acontece em Athletico-PR, Flamengo, são departamentos quase 100% dissociados. Aqui no clube a ideia é fazer de forma parecida", finalizou Arthur.