Intensidade, vibração e escalação definida: as primeiras impressões de Argel Fucks no Ceará

Argel Fucks já definiu o esquema tático que utilizará na estreia, contra o Athletico-PR, neste sábado

argel
Argel foi muito participativo em seu primeiro treino Foto: Thiago Gadelha

As últimas horas foram intensas para Argel Fucks. Logo no primeiro dia de trabalho no Ceará, o treinador deixou suas primeiras impressões para quem acompanhou a entrevista coletiva e também o treinamento, que foi totalmente aberto.

Anunciado como treinador do Ceará na madrugada, ele embarcou para a capital cearense por volta de 6 horas da manhã e desembarcou meio-dia. Seguiu para Porangabuçu durante a tarde, onde teve reunião com Robinson de Castro e Marcelo Segurado.

Em seguida, foi para a entrevista coletiva. "Eu gosto dessa correria, dessa pressão", disse ele.

O que se pôde notar foi um Argel intenso, vibrante, agitado e confiante, também com a plena consciência que o elenco precisa de um choque de motivação.

Com pouquíssimo tempo para implementar sua filosofia, sabe que o aspecto mental será fundamental para conseguir o objetivo de manter o Vovô na Série A.

Logo no aquecimento da primeira atividade isso ficou nítido, com exercícios físicos descontraídos que deixaram o elenco mais solto.

Individualmente, ia conversando com todos os atletas. Até que distribuiu coletes para os titulares.

Depois, realizou trabalho de posicionamento tático, busca por saída de posse de bola com toques curtos e marcação pressão, algo que será necessário na estratégia para vencer o Athletico-PR.

Argel já definiu o esquema tático que utilizará. "Gosto de jogar num 4-2-3-1 com um camisa 10 articulador, variando para um 4-3-3. Não usamos 3 zagueiros por não ser tão confiável", admitiu.

Ele interrompeu diversas vezes a atividade e pediu um time rápido nas transições, que verticaliza as jogadas e chega ao campo de ataque com poucos toques na bola.

Com um único treino, não se pode concluir muita coisa, obviamente.

Mas a primeira atividade passou uma impressão positiva para quem acompanhou. Diferente da passividade da equipe comandada por Adilson Batista, pareceu um time mais ativo, mais ligado, mais enérgico e motivado.

Resta ver se isso será refletido em campo.