Fortaleza encaminha vaga na Sul-Americana e já olha para a Libertadores

Com o triunfo por 2 a 1, o Tricolor acabou com qualquer chance de queda para a Série B e ainda ficou mais próximo de conquistar vaga na competição internacional. Chance de classificação para a Libertadores, antes utópica, é real

Fortaleza
Jogadores comemoram um dos gols da vitória sobre o Santos Thiago Gadelha

Uma vitória gigante, dramática, histórica e que promete ecoar de forma impactante no futuro do Fortaleza. Assim foi o triunfo por 2 a 1 sobre o Santos, na noite de ontem, na Arena Castelão. Num roteiro recheado de emoção e com sofrimento do torcedor até os minutos finais, o Tricolor selou a sua permanência na Série A do Campeonato Brasileiro e encaminhou ainda mais uma vaga para a Copa Sul-Americana.

Esta foi a primeira vez na história do confronto que o Fortaleza venceu o Santos. Ao longo dos anos, em todas as vezes que as equipes se enfrentaram, foram outros 13 jogos, com seis triunfos santistas e outros sete empates.

Com 46 pontos, o Leão do Pici não tem mais chance de cair à Série B e agora foca na busca de alcançar, de forma inédita em seus 101 anos, participação em uma competição internacional.

O triunfo sobre o vice-líder do campeonato fez a equipe de Rogério Ceni ganhar duas posições, ultrapassando Bahia e Vasco, e terminar a 35ª rodada na 10ª colocação, a melhor do time em todo o Brasileirão.

Sul-Americana é o objetivo mais próximo. O torcedor mais empolgado pensa em Libertadores. O sonho de participar do maior torneio continental não é mais tão utópico, considerando que somente cinco pontos separam o time do Internacional, 8º colocado e primeira equipe na zona de classificação para a pré-Libertadores.

O cenário fica ainda mais otimista considerando que o próximo adversário é o Goiás, 9º colocado, que está três pontos na frente do Tricolor. Vitória cearense no próximo domingo, às 16 horas, no estádio Serra Dourada, fará o Fortaleza ganhar a posição e ficar ainda mais próximo da faixa que dá vaga na Liberta, já que tem melhor saldo de gols.

Empolgação tricolor

O torcedor tem todos os motivos, sim, para estar empolgado e sonhar. A campanha absolutamente espetacular é reflexo de um time organizado, maduro, muito bem treinado por Rogério Ceni e que cresce na hora certa. No momento de afunilamento do campeonato, são quatro jogos de invencibilidade, com três vitórias. Nas últimas oito partidas, foram cinco triunfos, três empates e só uma derrota.

Com extrema competitividade, o time cresce em jogos importantes. Encarando o badalado Santos de Jorge Sampaoli, que acumulava sequência de sete partidas sem derrotas, o Fortaleza foi extremamente eficiente e cirúrgico, uma marca desta equipe.

A entrega coletiva e funcionamento de toda a engrenagem, com intensidade que contagia as arquibancadas, criam uma atmosfera de total pressão aos oponentes. Sob o olhar de 33.925 presentes, ontem, no Castelão, a mística leonina no Gigante da Boa Vista voltou a ser decisiva.

Fortaleza
Meio-campo do Fortaleza foi bem ativo na partida, marcando e criando boas jogadas Thiago Gadelha

A sinergia campo-arquibancada é tão contagiante que resgata o bom futebol até mesmo daqueles que não vinham apresentando boas atuações nos jogos mais recentes.

Lançado de volta ao time titular depois de uma sequência sem muito brilho, Edinho foi decisivo. Em grande atuação, com importante papel tático e desempenho técnico determinante, ele abriu o caminho da vitória aos 4 minutos do segundo tempo, em cobrança de falta categórica que Everson não defendeu.

O segundo gol veio aos 19 da etapa final, quando Osvaldo aproveitou cruzamento de Romarinho para ampliar. O camisa 20, mais uma vez, foi decisivo. É espetacular o Campeonato Brasileiro de Romarinho, o principal ponto de desequilíbrio de um time que tem também força mental.

O aspecto foi determinante para que não houvesse nervosismo. Ao menos dentro de campo. Na área técnica, nem tanto, prova que o francês Charles Hembert, auxiliar-técnico de Rogério Ceni, foi expulso por reclamação e acumulou sua quarta expulsão no Brasileirão.

No gramado, porém, o time conseguiu se manter tranquilo mesmo quando Carlos Sánchez diminuiu o placar, aos 23 minutos, de cabeça (em lance que evidencia que, apesar do bom momento, a bola aérea deve ser corrigida, já que levou o terceiro gol consecutivo pelo alto).

A confiança se manteve mesmo aos 40, quando o árbitro baiano Diego Pombo Lopez marcou pênalti de Juninho em cima de Evandro após um toque dentro da área que foi extremamente valorizado pelo santista.

O próprio Sánchez cobrou na trave e Felipe Alves, que fez bela atuação, com importantes defesas, segurou no rebote.

Era a certeza que a noite seria Tricolor. A festa ao apito final, simbolizada pela extrema vibração de Rogério Ceni, destaca a importância de um resultado que sela não somente um campeonato, mas um ano histórico para o Fortaleza.

Mais festa garantida

Ao contrário do que muitos torcedores pensavam, esta não foi a última partida do Fortaleza diante do seu torcedor em 2019. O Tricolor conseguiu, no início da noite de ontem, efeito suspensivo junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela perda de dois mandos de campo, além de multa de R$ 20 mil por conta de confusões generalizadas no Clássico-Rei do último dia 10, na Arena Castelão.

Com isso, a partida contra o Bahia, na última rodada do Brasileirão, marcada para o dia 8, ocorrerá de portões abertos aos torcedores.

A expectativa da diretoria leonina era de que o efeito suspensivo fosse deferido, sobretudo pelo Ceará também ter conseguido êxito na ação, horas antes.

A decisão ocorre dois dias após o STJD punir Ceará e Fortaleza com a decisão que faria os clubes jogarem com portões fechados pelos conflitos que ocorreram no Clássico-Rei do último dia 10 de novembro, no Castelão.

Com o efeito suspensivo, a pena está suspensa até que seja novamente analisada pelo pleno do Tribunal.

Um prêmio para a torcida que detém a 3ª maior média de público do campeonato e que, certamente, fará ainda mais festa no último jogo do ano.