Visando Sula, Fortaleza inicia planejamento de 2020 e conta com Ceni

A diretoria do Leão começou a montar o calendário e avaliar o elenco com foco na disputa da Sul-Americana da próxima temporada. O uso dos atletas emprestados também está na pauta, além de investimento em estrutura

Fortaleza
Rogério Ceni participa do planejamento tricolor para 2020 Thiago Gadelha

O Fortaleza seguiu à risca o planejamento de 2019. O clube trabalhou o orçamento no limite, implantou reformas estruturais, aperfeiçoou o tratamento ao sócio-torcedor e trouxe dois títulos na bagagem: Campeonato Cearense e Copa do Nordeste. Restando três pontos para a manutenção na Série A, o Leão começou os trabalhos para a próxima temporada visando inclusive a Sul-Americana.

A primeira reunião ocorreu na última terça-feira (19) e contou com participação dos departamentos de futebol e médico, sem as presenças do presidente Marcelo Paz e de Ceni. As pautas envolveram a gestão do elenco, análise de desempenho dos atletas emprestados, reformas estruturais e, principalmente, o calendário do ano que vem.

O trabalho conta com atuação direta do técnico Rogério Ceni, que participa do processo de contratação dos jogadores desde a chegada ao Pici, em novembro de 2017. A expectativa é fazer um balanço dos nomes emprestados ao time envolvendo os custos e o aproveitamento ao longo das competições.

As decisões serão direcionadas para a montagem do grupo, logo após o encerramento do Brasileirão. Uma das metas internas é diminuir o número de empréstimo e reforçar a quantidade de vínculos contratuais que assegurem a permanência dos jogadores. Vale ressaltar que 20 fecharam contrato para 2020, somando com o atacante Edson Cariús.

Da lista total de atletas, seis retornam ao time de origem caso o Fortaleza não manifeste desejo de extensão ou compra, opção que necessita do aval de Ceni. São os volantes Araruna (São Paulo) e Paulo Roberto (Corinthians), e os atacantes Edinho (Atlético/MG), André Luís (Corinthians), Felipe Pires (Hoffenheim/ALE) e Matheus Alessandro (Fluminense).

Com o encerramento da reforma no Centro de Excelência em dezembro, o plantel será realocado para o espaço. Durante o período, o CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú, receberá melhorias na estrutura avaliadas em R$ 500 mil, também atendendo solicitação da atual comissão técnica.

Calendário robusto

As determinações aferidas nesse período vislumbram especificamente o mês de fevereiro, quando tem início as partidas oficiais do Fortaleza. O calendário de atividades está sendo desenvolvido projetando três competições simultâneas (Estadual, Copa do Nordeste e Sul-Americana).

Todas são prioridade já que o clube busca o bicampeonato em duas delas. Segundo o calendário divulgado pela CBF, um cenário cogitado é o do time estreando no Cearense no dia 4, disputando a 1ª fase da Sul-Americana dia 7 e entrando em campo na data posterior contra o Santa Cruz, pelo Nordestão.

A maratona pode obrigar o clube a montar até dois elencos, em que peças fiquem disputando torneios fixos. A negociação com atletas de "perfil internacional" não está descartada pela diretoria.

Vale ressaltar que todos os pontos são acordados com a comissão técnica atual devido envolvimento com o elenco. Desse plano, uma possível negociação com Rogério Ceni será desenvolvida ao término da Série A do Brasileiro, sendo a manutenção do comandante a meta principal.

Até lá, o técnico ainda fica à frente da equipe contra Internacional (24/11), Santos (28/11), Goiás (1/12), Fluminense (3/12) e Bahia (7/12). Na tabela, soma 42 pontos e ocupa a 12ª posição.