Há 10 anos, o Fortaleza era rebaixado à Série C para ressurgir ainda maior

Time tricolor conquistou títulos inéditos e deve encerrar temporada com novos grandes feitos

Fortaleza
No Fortaleza, relembrar o passado faz-se necessário porque sedimentou as bases para o ressurgimento Foto: Gustavo Simão / Fortaleza

Uma marca eterna, mas cicatrizada com a glória. Há 10 anos, o Fortaleza era rebaixado à Série C do Campeonato Brasileiro. Com mais precisão, no dia 21 de novembro de 2009, na Arena Castelão, após derrota por 2 a 1 para o São Caetano - como bem lembrou o jornalista Gioras Xerez.

A vantagem de ser gigante, e centenário, é ter o direito de reescrever a história, mesmo que demore oito anos. Assim, na 3º divisão, o Leão se fortaleceu, apesar das mágoas. E a massa tricolor, tão fiel, entrou em rota de sinergia com o clube. 

O retrato está, sim, em todos os quase acessos. A dor dos seguidos insucessos não diminuiu o amor do torcedor, só aumentou. A expectativa de ir ao estádio e ver um feito grandioso, de clemência, mobilizou o tricolor e intensificou a cultura de pertencimento às arquibancadas da Arena Castelão, hoje reduto tricolor e que se reflete na 3ª maior média de público na Série A.

Relembrar o passado pode até gerar mal-estar, certas vezes. No Fortaleza, faz-se necessário porque foi o pior momento da história que sedimentou as bases para o ressurgimento em uma saga épica que se já estende por dois anos. A renovação veio em gestão, treinador, ídolos, tudo escrito em capítulos tão grandes como os do passado.

Ávido por conquistas, o Leão se reergueu, ainda mais gigante, para escrever o ineditismo. Assim rompeu as barreiras do Estado e se tornou Nacional. Trouxe os títulos da Série B (2018), da Copa do Nordeste (2019), do Campeonato Cearense (2010-2015-2016-2019). Se tornou referência em marketing, público, renda, receita e planejamento. Ascendeu de patamar.

E se o alicerce mudou, a estrutura também cresceu em investimento. O ano de 2019 promete ser tão memorável quanto 2009, seja pela oficialização do Centro de Excelência - remodelagem do estádio Alcides Santos -, seja por uma possível vaga na Copa Sul-Americana pela 1º vez. O Leão está faminto.