Ulysses Guimarães

Já faz algum tempo que ocorreu o trágico falecimento do Dr. Ulysses Guimarães (12.10.1992- 28 anos). Pouco vem sendo lembrado. Lamentavelmente, nós brasileiros, temos memória curta. Na biografia de Ulysses, a eminência do homem supera o brilho das circunstâncias. O perfil de Ulysses é o perfil do Brasil das liberdades.

Sempre defendeu um Brasil sem corrupção, desenvolvido e com justiça social. A integridade pessoal, a coerência política, a coragem cívica e a obstinada tenacidade na construção de uma nação maior eram os elementos de que se utilizou para compor aos olhos dos brasileiros, a figura do gigante que cresceu sobre os outeiros da Pátria e projetou esperança no futuro, como senhor do destino.

Lembro-me, também, do doutor Ulysses nos anos de 1984 e 1985, dando continuidade ao trabalho sério, com desprendimento e espírito público, de redemocratização do Brasil. Naquela época tinha a honra de governar o Estado do Ceará e participava de reuniões ao lado de Tancredo Neves, Aureliano Chaves, Ulysses Guimarães, Marco Maciel, Franco Montoro, José Richa e tantos outros políticos que representavam o desejo e a esperança da população brasileira.

Ulysses e Aureliano eram os dois principais articuladores do movimento que originou a Aliança Democrática, garantindo a eleição do inesquecível Tancredo Neves para presidente da República. Há, porém, um instante significativo; o gesto é triunfante: a Constituição cidadã erguida em 1988.

De lá para cá, infelizmente, algumas vezes foi desrespeitada. Não poderemos nunca deixar de homenagear e de lembrar Ulysses, em razão de suas ideias democráticas e do seu elevado espírito público; o maior líder brasileiro da segunda metade do século XX. Nossos jovens precisam conhecer a verdadeira história contemporânea do Brasil. P.S: Os brasileiros não devem esquecer as lições de vida pública ensinadas por Ulysses Guimarães.

Gonzaga Mota

Professor aposentado da UFC


Assuntos Relacionados