Turismo ousado e determinado

A Covid-19 quebrou planos elaborados pelo trade turístico cearense para 2020, ano que tinha tudo para entrar na história da economia. Mas continuamos acreditando na superação, determinação, ousadia e, acima de tudo, na latente conscientização do potencial do Ceará. Acreditamos na atenção especial que o poder público dedica ao setor. Trabalhamos por medidas que mitiguem os impactos socioeconômicos e, assim, o setor esteja saudável para o período de estabilização e de recuperação, salvando empregos.

Já há sinais da resiliência por parte do trade turístico. As agências apresentam revigoramento com 80% na procura pelos seus serviços nos últimos meses. A expectativa é de que o segmento avance de 20% a 30% em faturamento imediatamente no pós-pandemia. Retomam-se as viagens, principalmente pelas ofertas das companhias aéreas e dos resorts. Outro exemplo é a recuperação de Canoa e Jericoacoara, que já recebem expressivo número de turistas.

A expectativa é que, a partir de janeiro, tudo esteja praticamente normalizado, porque existe uma demanda reprimida das férias de julho e depois deste confinamento as pessoas estão desejosas de retomar as viagens. É notório a melhoria no movimento do Aeroporto Internacional de Fortaleza. E vem aí o novo aeroporto regional de Sobral, que terá investimentos de R$ 80 milhões.

Neste interstício, o Ministério do Turismo, através do Sebrae, capacita representantes das empresas que trabalham na rota turística de Fortaleza e na Rota das Emoções, que inclui o Ceará (a partir de Camocim), o Piauí (Delta do Parnaíba) e o Maranhão (Lençóis), Rota das Falésias (Litoral Leste), Rota do Café (Maciço de Baturité), Rota Mirantes da Ibiapaba (Serra da Ibiapaba) e Rota Turística do Cariri. Empresas se reinventam e saem dos cursos conscientes de que juntas têm mais poder.

Ratificamos a fé, a resiliência e a determinação do trade turístico, segmento primordial para a sustentabilidade econômica do Ceará.

Sérgio Aguiar
Deputado estadual


Assuntos Relacionados