Testes obrigatórios

Foi dada a largada na corrida dos novos players de mercado do novo sistema de pagamento instantâneo e transferências do Banco Central, o PIX. A execução bem-sucedida dos testes técnicos é condição necessária para a autorização da instituição no ambiente de produção, na data de implantação, em novembro deste ano. A etapa homologatória tem o objetivo de garantir o pleno funcionamento do serviço de pagamento.

Estão sendo realizados testes nas plataformas operacionais SPI e DICT e verificadas experiências do consumidor final, utilizando dados fictícios. É verificado também se as interfaces atendem aos requisitos definidos pelo BC e se o aplicativo das instituições está amigável para os clientes realizarem suas transações via celular.

Alguns bancos já estão simulando o envio de remessas financeiras. O dinheiro sai da conta do pagador, passa pelo sistema SPI, do Banco Central, e cai na conta de outro banco. Outro item importante é a checagem do desempenho das operações em larga escala.

Efetuar o pagamento pelo celular no PIX será algo convidativo, prático e evitará os riscos no uso do dinheiro em espécie. Em breve, até mesmo o Governo deverá efetuar pagamentos aos cidadãos utilizando as carteiras digitais para os mais de 55 milhões de não "bancarizados".

Com a entrada no ar do PIX, seja ele para pagar uma conta ou, até mesmo, para transferir dinheiro de uma pessoa para outra, os cidadãos poderão pagar e receber através de uma carteira digital ou conta bancária. Neste cenário, as pessoas que hoje se encontram à margem do sistema financeiro serão inseridas no uso do novo recurso financeiro e tecnológico.

Para as empresas que ainda não se cadastraram, novas solicitações somente estarão disponíveis, de forma permanente, a partir de 1º de dezembro de 2020. Para as que já estão cadastradas, é hora de se preparar para colocá-lo em breve em produção. Quem chega primeiro tem, certamente, mais oportunidades de mercado.

Marco Zanini

CEO da Dinamo Networks