Talentos nativos II

Nesta oportunidade, desejo formular algumas considerações para a compreensão apropriada do tema da gestão, como processo gerencial aplicado às organizações notadamente - de pequeno e médio porte do País.

A sua contextualização contempla a continuidade de temas inerentes às estratégias, objetivos, procedimentos, assim como normas, cuja amplitude requer um gerenciamento adequado da sua efetiva aplicação - mercê das estratégias e variáveis inerentes a sua sustentação em favor da geração de emprego e renda, de tão grande importância na economia nacional.

Esta opção além de ensejar a sua efetividade, favorece o aprofundamento de temas em favor da capacidade gerencial, aporte financeiro, geração de emprego e renda sustentáveis, a favor do desenvolvimento regional e local, propriamente dito. Identificar e privilegiar o talento nativo sinaliza com concretude as competências locais, mercê da sua especificidade e criatividade, como tem sido através dos tempos no sentido amplo da palavra - é só tentar.

Só avançaremos segundo essas premissas, em bases sustentáveis, privilegiando o talento local - a exemplo das experiências consideradas exitosas como registra a história econômica e empresarial nas economias mais avançadas.

Assim, se têm buscado experiências de desenvolvimento local sustentável - com a geração de emprego e renda, com justiça social que favoreça o talento nativo, com repercussão política no âmbito empresarial e social.

O engajamento de todos esses fatores em favor deste alcance tem repercutido no âmbito empresarial, institucional, social e político, em favor do desenvolvimento, despertando novos talentos nas comunidades com potencial de crescimento sustentável.

 Não haverá opções de acerto, que por ventura, deixem de considerar essas premissas.

Cláudio Montenegro
Administrador