Semana da Biodiversidade: conhecendo a fauna e a flora do Ceará

Artur Bruno
Legenda: Artur Bruno é secretário do Meio Ambiente do Ceará
Foto: Saulo Roberto

O governo do Ceará, por meio da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA), promove, no período de 22 a 28 de maio, a Semana da Biodiversidade 2022, um evento que já consta no nosso calendário ambiental. Este ano, o tema é “Conheça a Flora e a Fauna do Ceará”.

O assunto a ser explorado este ano tem o objetivo de publicizar os grandes avanços no mapeamento da nossa flora e fauna. A SEMA, em parceria com o programa Cientista Chefe Meio Ambiente, realizou levantamentos científicos importantes.

Já temos os inventários - disponibilizados no site da Secretaria (www.sema.ce.gov.br ) - da fauna e da flora cearenses e também o início dos estudos da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas – por enquanto, somente mamíferos terrestres. A Lista Vermelha é um termômetro condutor importante para definir nossas políticas de preservação.

Acredito que quanto mais a população tomar conhecimento das nossas riquezas naturais, maior será o nível de envolvimento com as atitudes de conservação. Afinal, para preservar é preciso conhecer.

A Semana da Biodiversidade terá atividades presenciais e virtuais, com palestras, oficinas de capacitação, plantio de mudas, trilhas, feira agroecológica, exposições e lançamento do Concurso de Ilustrações para escolha do mascote da Semana de Proteção Animal (SEPA).

A Célula de Políticas de Flora (Ceflor) trabalhará a relevância da valorização de espécies nativas. A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa dos Animais (Coani) mostrará nossa fauna silvestre e doméstica. A Coordenadoria de Educação Ambiental e Articulação Social (Coeas) fará atividades educativas e o programa Cientista Chefe falará sobre os estudos que resultaram nos levantamentos das espécies da fauna e flora do Ceará.

A nossa biodiversidade é extensa em qualidade e quantidade, e este tesouro pertence a cada um de nós. É necessário o envolvimento da sociedade neste esforço: escolas, universidades e demais instituições de ensino e pesquisa precisam divulgar este patrimônio.

Artur Bruno é secretário estadual do Meio Ambiente