O vislumbre de pleito eleitoral

Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte
Legenda: Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte

Gradualmente é esperado o dia da competição eleitoral, quando estarão em disputa os cargos de presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais, num somatório de mandatos, que, no ano vindouro, ensejará a reformulação nos quadros do Executivo e Legislativo, no País e nas Unidades Federadas, sob a expectativa de uma opinião pública que acompanhará a performance dos que serão contemplados com um maior índice de sufrágio popular.

Os debates daqueles que aspiram as chefias de governos aprimoram os seus planos de gestão, ajustando diretrizes que possam sensibilizar a massa votante, convictos de que algo será reordenado com fórmulas auspiciosas, capazes de atender a uma realidade que aponte para a trilha de progresso e bem-estar social.

Os Programas de Governos inevitavelmente deverão ser readequados ao ambiente financeiro, de modo a ser viabilizado o equilíbrio administrativo de nossa Nação e dos Estados – portentosos ou não –, com tudo que for o prometido na refrega tornando-se objeto de cabal cumprimento, para satisfazer os anseios da comunidade.

Os parlamentares estarão competindo e, após eleitos, iniciarão os movimentos com vistas às eleições das Mesas do Senado e Câmara Federal, além das Assembleias Legislativas, como ponto de indiscutível relevância, quando influirão deputados e senadores, num novo arcabouço das expectativas do eleitor que, de olhos bem abertos, assistirá as deliberações iniciais de Governos e Parlamentos, em todos os níveis.

Como a batalha pelo voto é realmente cruenta, muitas postulações poderão ser preteridas, por força de um adiamento sine-die, à falta de dotação orçamentária que exigiria reforço nos dispêndios do Tesouro Nacional.

A escolha de ministros para Pastas mais importantes e, na esfera estadual, de Secretarias e funções assemelhadas, é quando os partidos buscarão o acolhimento de demandas que prestigiarão governantes e parlamentares, todos objetivando o avigoramento de suas correntes políticas.

Uma aura animadora domina as nossas forças partidárias, no aguardo de decisões dos gestores escolhidos, numa esperança em via de concretização. Já se disse que “Deus ajuda a quem cedo madruga...”.

Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte