Liderar e gerir

Os fundamentos e práticas gerenciais se assentam em pressupostos que dão sustentação aos processos de gerir e liderar as organizações em geral. É a partir dessa sensação que balizamos o entendimento que se reflete na interação dos processos, com vistas ao alcance dos resultados. A relação do gerente com os seus subordinados é transacional, significando que o subordinado executa a tarefa que lhes foi atribuída por força da remuneração que lhe é devida pelo seu desempenho.

Gerentes são remunerados para fazer com que os processos aconteçam geralmente submetidos a forte pressão de tempo e custos, transmitindo aos seus subordinados essa sensação. A postura dos gerentes, segundo pesquisas levadas a efeito indicam que por serem oriundos de família estável e que levam vida normal e até confortável, não se dispõe a assumir riscos que comprometa a sua estabilidade.

Ao longo da sua trajetória funcional o gerente se revela, pela sua atitude proativa inerente ao seu relacionamento interpessoal, inspirando seguidores no alcance dos seus resultados. 

Esta postura de superação que não deve ser desperdiçada, na medida em que demonstra o seu perfil para voos mais alto ao longo da sua trajetória funcional. O líder na sua essência é um libertador - consegue estimular as pessoas a fazerem o que se exige, de maneira mais eficiente e humana possível. 

Dar a direção e alinha as pessoas para os objetivos comuns, segundo a missão e visão da organização.

Um líder é na sua essência um motivador e um inspirador. No cotidiano, particularmente nos dias presentes, a liderança é competência estratégica daquelas que disputam o mercado de trabalho. Pesquisas levadas a efeito sobre o tema são pródigas nesta direção. O líder induz o alcance dos resultados na forma perseguida, sem, contudo, desestimular a motivação dos colaboradores.


Cláudio Montenegro
Administrador


Assuntos Relacionados