Formação das composições políticas

Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte
Legenda: Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte

Embora já esboçadas algumas chapas de postulantes a Presidente e Vice da República, ainda faltam muitas exigências para que desponte um quadro definitivo, quando o embate se tornará mais intenso entre os concorrentes, todos chancelados por alianças bem estruturadas, prevalecendo a união de várias legendas, dando lugar a que o confronto possa assumir contornos decisórios, cada composição formada por vultos prestigiosos, aptos, portanto, a somar adeptos, assim, granjeando a confiança dos respectivos correligionários.

Lula da Silva com Geraldo Alckmin, já compostos, e Jair Bolsonaro ao lado de Braga Neto, irmanados para enfrentar os maiorais, assim se redesenha um panorama de indiscutível potencialidade, aguardando os demais pretendentes, não menos prestigiosos, que buscam vitalizar alianças capazes de enfrentar os adversários, armando palanques aguerridos, integrado por líderes da veemência de Simone Tebet e Tasso Jereissati, num bloco de peso razoável, que principia a percorrer caminhos menos ínvios, uma vez que, como Senadores da República, se movem com mais equilíbrio, tentando aglutinar outras lideranças que trarão a eles maior força de combatividade.

Há quem afirme que, somente mais perto das convenções – a partir do próximo dia 20 –, os esquemas partidários estarão melhor articulados, ensejando a que as preferências se tornem claras e precisas, com cada coligação unida para pôr em campo time arrojado e objetivos bem delineados, na perspectiva de tornar vitoriosa a respectiva legenda.

As aparições na televisão terão impacto fundamental para o sucesso da campanha, quando os pleiteantes se apresentarão impulsionados por simpatizantes, no embalo do “contra tudo e contra todos”.

A fórmula tradicional de propaganda já evidencia a sua ineficácia, devendo ser substituída por métodos de divulgação inovadores, naturalmente sem deixar de lado o foco mais importante de convencimento, qual seja, a massa votante.

Diante de tais configurações, após empenho e entusiasmo desmedidos, aos partidos só resta a expectativa de quem será o laureado com o triunfo irrefutável. E no 02 de outubro, proclamemos todos: viva o exercício inquestionavelmente democrático.

Mauro Benevides é jornalista e senador constituinte