Eleição

A campanha eleitoral na mata apresenta os candidatos com as seguintes peculiaridades: o papagaio com seus discursos repetitivos. A cobra sempre à espreita para dar seu bote certeiro. A cigarra canta para ludibriar. O pavão exibe seu belo e colorido arco de penas para impressionar. O leão domina por apresentar força e poder. O crocodilo finge derramar lágrimas para comover.

A formiga, que apresenta trabalho, organização, solidariedade e compromisso, afirmou: "Os eleitores e os candidatos precisam acreditar que a vida em sociedade deve ser pautada por condutas definidas que sejam importantes e necessárias à harmonia social. Baseadas em viver honestamente".

A coruja, além de enxergar no escuro, mostrando sabedoria, ponderou: "Os diversos delitos preexistentes na sociedade contemporânea são, no geral, são fruto da imaturidade daqueles que ainda se encontram distantes do amor e respeito ao próximo".

Poucos são os que conseguem compreender a mensagem da coruja e da formiga sobre conscientização do direito de melhorias da vida através de ação reivindicatória para a promoção da educação, da saúde e da moradia.

Os eleitores, como o macaco, acha que tudo não passa de brincadeiras, faz deboche do momento. O urubu contenta-se apenas com a carniça. O urso hiberna, alheio a todo o processo democrático. O papagaio, a cobra, a cigarra, o pavão, o leão e o crocodilo são eleitos, consequência da conduta dos eleitores diante da oportunidade de mudança que o pleito oferece.

Enquanto os eleitos estiverem preocupados com seus interesses individuais e não conseguirem compreender a importância do cargo que ocupam para a promoção do bem estar social, assim como os eleitores omissos, acomodados e indiferentes em relação à eleição, a situação na mata vai continuar a mesma com seus graves problemas.

Francisco Antonio de Oliveira

Administrador


Assuntos Relacionados