19 de dezembro de 1959

Rua Dom Joaquim, 36, bairro Seminário. Aniversário de 16 anos de bonita e amável garota, aluna do Ginásio Brasil. Na véspera, um jovem de 18 anos, também estudante e que a conhecia de vista, recém-admitido no Serviço Público Federal como auxiliar de engenheiro, fez-se convidado para a festa e decidido a tomá-la por namorada. Comprou o disco “A mis amigos”, de Nat King Cole, sucesso internacional, colocou chapéu modelo Fedora idêntico ao do trovador, moda da juventude na época e rumou à residência de seus pais.

Trocas recíprocas de olhares transformaram-nos em enamorados. E apaixonados.

Preparam-se no constituir de sólida família. Ele, servidor público federal, depois do Município, 1º Tenente R/2 convocado do Exército Brasileiro, advogado, administrador, procurador municipal de Fortaleza, detentor de cursos de especialização e dicionarista. Ela, pedagoga, orientadora do ensino municipal e dedicada a artes artesanais várias.
Sete e meio anos de namoro e noivado. 15 de julho de 1967. Igreja Santuário de Fátima. Casamento do tenente do EB com a professora da Municipalidade, oficializado pelo Monsenhor Joaquim Jesus Dourado, Capelão da 10ª Região Militar, com cruzamento de espadas pelo oficialato do 23º Batalhão de Caçadores.

O casal tem os filhos Syomara, Geraldo e Sabrina. Os netos Luca, Mariana, Lina e Arthur. A nora Ticiana e o genro Rubens.

Hoje, ambos aposentados, mas em intensas atividades e sempre acompanhando o desenvolvimento tecnológico e buscando atualizar-se ao máximo na evolução do conhecimento, praticam um viver tranquilo e feliz. Assim, criaram os filhos, todos profissionais de nível superior, servindo no magistério acadêmico, na Justiça de outro Estado e como professor universitário e arquiteto no exterior.

Eis, 60 anos do grande amor de Ivahy e Geraldo Duarte. Eis esta homenagem a ela, razão deste comemorar.


Assuntos Relacionados