Vendas online de supermercados disparam até 500% durante pandemia, aponta Acesu

Setor prevê novas contratações após aumento na demanda

Legenda: O setor de supermercados está contratando para conseguir atender a todos os clientes
Foto: Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

A chegada da Covid-19 ao Ceará mudou a rotina e a maneira de consumir das pessoas. Em meio às medidas de isolamento social, o serviço de vendas dos supermercados pela internet, seja pelo site ou aplicativos, cresceu até 500% durante a crise, segundo informa a Associação Cearense de Supermercados (Acesu). 

"Nem todo supermercado estava preparado pra isso, embora no Ceará já se trabalhasse com essas plataformas digitais. A venda por aplicativo foi boa para quem já vinha trabalhando com esse recurso", aponta Nidovando Pinheiro, vice-presidente da Acesu. 

A mudança na maneira de consumir impactou também a demanda por mão de obra nesses estabelecimentos - na contramão do que vem acontecendo em serviços não essenciais, o setor de supermercados está contratando para conseguir atender a todos os clientes.

“Após a pandemia a demanda aumentou consideravelmente e foi preciso nos estruturarmos para atender a todos.Tivemos aumento de 30 pessoas no quadro de separadores e motoristas de entrega”, expõe Alexandre Pinheiro, diretor comercial do Pinheiro Supermercado.

Apesar da mudança nos hábitos, alguns estabelecimentos seguem registrando aglomeração em suas unidades.

“A dificuldade está na conscientização. Quando o consumidor vier, vir só uma pessoa, não a família toda, porque isso pode gerar aglomeração. A gente quer que as pessoas venham, façam suas compras e voltem pra casa sem acontecer nada com elas”, esclarece Nidovando.;

Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), desde 2012 não era registrada movimentação tão intensa no setor. Apesar do aumento na demanda, a Abras garante não haver desabastecimento nas prateleiras, exceto no caso do álcool 70%, em que pode haver dificuldade de encontrar o produto.