Último dia do mutirão de dívidas do Procon Fortaleza tem 3 mil pessoas em fila

A Polícia Militar informou que, antes da abertura dos portões, 3 mil pessoas aguardavam por atendimento na fila

Legenda: Esta é a sexta edição do mutirão do Procon Fortaleza.
Foto: Ingrid Coelho/ SVM

O último dia do mutirão de renegociação de dívidas do Procon teve, antes da abertura dos portões, às 7 horas da manhã desta sexta-feira (11), cerca de 3 mil pessoas aguardando a chance de serem atendidas. A informação é da Polícia Militar. O Procon informou que, mesmo com a alta procura, não pretende estender o horário de funcionamento, que deve encerrar às 17h. O mutirão acontece no Ginásio Paulo Sarasate. 

O sonho do aposentado José Quirino é voltar a ter água encanada em casa. Há 6 anos ele teve o fornecimento cortado por dívidas com a Cagece. “Há 6 anos dois papéis com contas de R$ 1.900 chegaram na minha casa alegando vazamento de água. Não tive como pagar e a dívida continua rolando. Hoje com os juros já está em R$ 10 mil. Pagar essa dívida para mim significa ter água encanada na minha casa de novo”, conta. 

Legenda: José acumula cumula dívida de R$ 10 mil com a Cagece.
Foto: Ingrid Coelho/SVM

Venda de Lugares

Tatiane Barbosa, costureira, denuncia a venda de lugares na fila. "Quando eu cheguei só tinha umas 50 pessoas na minha frente e agora tem mais de 100. Tudo foi vendido. Uma pessoa guardava lugar para outras 10”, denuncia a costureira Tatiane Barbosa. A venda de lugares chegou a ser ofertada com valores entre R$ 50 e R$ 200. 

Sobre a denúncia, o Procon afirmou em nota que "administra o evento dos portões para dentro, o que acontece dos portões para fora não está na nossa responsabilidade. O que está ocorrendo lá fora é desconhecido para nós".

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, contou que o órgão já planeja a edição do ano seguinte “Estamos pensando no mutirão de 2020.  Essa edição vai nos servir de exemplo para aperfeiçoar para a próxima vez. Vamos analisar os aspectos negativos para melhorar. O mutirão superou nossas expectativas com o número de pessoas que procurou a renegociação. Isso mostra o interesse do cearense de pagar suas dívidas”, afirma.  

“Ontem nós fechamos um acordo que a empresa concedeu 98% de desconto", detacou Cláudia Santos. Em 2018, a taxa recorde alcançada foi de 95%, segundo o Procon. 


Assuntos Relacionados