Tarifa média de energia terá reajuste de 8,2%; tarifa residencial vai subir 7,39%

As novas tarifas passam a vigorar a partir da próxima segunda (22)

Legenda: Reajuste para consumidores de baixa tensão foi afixado em 8,35%, conforme divulgou a Enel
Foto: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (16) a revisão tarifária da Enel Distribuição Ceará. A revisão será, em média, de 8,2%. Para consumidores de baixa tensão, o percentual de reajuste será de 8,35% e para os clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e grandes comércios, o índice aprovado foi de 7,87%. Para os clientes residenciais, o reajuste será de 7,39%. As novas tarifas passam a vigorar a partir da próxima segunda (22).

> Reajuste de energia no Ceará deve cair de 11,62% para 8,5% 

> Aneel propõe aumento de 11,62% nas tarifas da Enel Ceará

De acordo com a Enel, a revisão tarifária visa estabelecer o equilíbrio econômico-financeiro da empresa. "O fator principal que influenciou a revisão deste ano foi o custo com a compra de energia. Neste percentual de reajuste já consta a redução decorrente do pagamento do empréstimo da Conta ACR, que representou 3,15%. A Conta-ACR foi um mecanismo criado pela Aneel para repassar às distribuidoras os valores decorrentes de custos de compra de energia não previstos e pagos pelas concessionárias entre fevereiro e dezembro de 2014", diz a empresa em nota à imprensa.

A Enel Distribuição Ceará exemplifica que, em uma conta no valor de R$ 100, cerca de R$ 23,50 são destinados à distribuidora, para operação, expansão e manutenção da rede de energia elétrica. O restante do valor se deve a fatores não gerenciáveis pela distribuidora e é destinada a cobrir os custos de transmissão, compra de energia, encargos setoriais e impostos.

Foto: Enel Distribuição Ceará

 


Assuntos Relacionados