Semana de transição no comércio reativa boa parte das vendas; preocupação com protocolos continua

Durante a primeira semana se destacaram os segmentos de material de construção e de óticas

Fotografia comércio Fortaleza
Legenda: Capital entrou na Fase 2 da retomada econômica
Foto: JL Rosa

Após quase três meses de portas fechadas, o setor do comércio vem aos poucos voltando as atividades. Durante a primeira semana de flexibilização, alguns segmentos registraram vendas em patamares próximos ao de antes da crise. “O resultado ao longo desta semana foi muito bom, principalmente para o setor de material de construção e o de óticas, que retornaram ao mesmo patamar que estavam antes”, diz Freitas Cordeiro, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE). “Isso não aconteceu com todos os setores, mas ainda há uma grande demanda reprimida”.

Cordeiro diz, no entanto, que a maior preocupação é com os indicadores da saúde, com a redução do contágio e das internações decorrentes do coronavírus. “Os relatórios estão positivos, com oferta de leitos, com mais pessoas recuperadas. Então ainda devemos tomar todos os cuidados possíveis”, diz. Desde segunda-feira, alguns segmentos do comércio, exceto os que estão localizados dentro de shoppings, já voltam a funcionar. Nesse período, abriram comércios da construção civil, da cadeia de saúde (inclusive óticas), cabeleireiros e serviços gráficos. Todos com 40% dos trabalhadores.

Serviços
Para Maurício Filizola, presidente da  Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), a avaliação da primeira semana de retorno foi positiva, com foco em dois pontos específicos: o cumprimeiro dos procolos e o retorno do consumo. “Temos o compromisso de fazer com que os todos os setores pudessem ser orientados para, neste momento de transição, abrir nos horários que foram definidos, para ter o número de colaboradores que foi pautado”, diz. “Diante disso, nós vimos um movimento razoável para os setores, mas a gente espera que os cuidados com a saúde sejam cumpridos por todas as empresas”.

De acordo com Filizola, foram estabelecidas diretrizes que estabelecem o uso de máscaras por funcionários e clientes, disponibilidade de álcool em gel e distanciamento de pessoas, mas cada empresa adaptará os procedimentos à sua realidade. O setor de serviços está autorizado a funcionar das 8h às 20h, ajustando as jornadas às características dos diversos segmentos.


Categorias Relacionadas