Roberto Cláudio reforça que retomada econômica pode ser interrompida com piora em dados de Covid-19

"Ainda estamos muito longe de estar vivendo uma situação de normalidade", disse o prefeito de Fortaleza em transmissão ao vivo nesta segunda-feira

Legenda: Aglomerações no Centro e em vias públicas de Fortaleza reforçam o alerta de Roberto Cláudio e Camilo Santana acerca dos cuidados com o novo coronavírus.
Foto: HELENE SANTOS

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, alertou mais uma vez para as regras de comportamento a serem tomadas durante a pandemia de Covid-19 na capital cearense. Ele reiterou que aglomerações e falta de cuidados pessoais contra o novo coronavírus que estão sendo percebidas em Fortaleza podem interromper o processo de retomada das atividades cotidianas na capital. O pronunciamento foi feito em transmissão ao vivo pelo Facebook na noite desta segunda-feira (29).

"Nós temos ainda diariamente casos confirmados (de Covid-19), infelizmente óbitos, pacientes sendo internados. A gente tem, há pelo menos cinco semanas, uma tendência de queda, mas ainda estamos muito longe de estar vivendo uma situação de normalidade", asseverou. 

 

Nesta segunda-feira, Fortaleza atingiu 35.081 diagnósticos do novo coronavírus, assim como 3.276 mortes pela Covid-19, conforme dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde. O Ceará tem 6.076 óbitos, além de 108,225 testes positivos para o agente infeccioso

Roberto Cláudio explicou mais uma vez que o cronograma de retorno às atividades sociais e econômicas está baseado nos índices de saúde pública, podendo ser interrompido caso se perceba que a pandemia volte a representar perigo significativo. 

"Boa parte desse cronograma de retomada da vida normal depende fundamentalmente da melhoria dos indicadores de saúde pública. Se em algum momento a gente identificar algum sinal de alerta, sinalizando que a gente passou a ter preocupação de novo com o Covid-19, a gente pode interromper esse processo de retomada ou mesmo dar alguns passos atrás, se for mesmo necessário, porque nada pode substituir a proteção à vida e à saúde pública", pontua. 

Mais cedo, o governador do Ceará, Camilo Santana, tocou no mesmo assunto em mensagens postadas nas redes sociais, ameaçando interromper o processo de retomada gradual da economia, caso os índices de Covid-19 voltem a apresentar risco de crescimento. 

"Tenho alertado que a situação não é de normalidade. A epidemia continua. O cenário ainda é de preocupação. Tenho visto imagens de aglomerações injustificáveis. É preciso responsabilidade. Se não houver consciência de todos, os números da Covid podem voltar a subir e o Processo de Retomada Econômica não avançará, podendo, até mesmo, regredir e negócios serem novamente fechados, o que não queremos que ocorra", alertou o chefe do executivo. 

Apesar de reafirmar a importância da economia para o estado, Camilo fez um apelo à população para que seja respeitado o isolamento social, alertando para que as pessoas só saiam de casa quando houver necessidade.

"A economia é importante, as pessoas precisam voltar a trabalhar, mas muita gente está ignorando os alertas e colocando sua vida e a dos outros em risco. Essa luta só será vencida se todos colaborarem. Só saia de casa quando for necessário, e sempre usando máscara. Somente juntos iremos vencer essa pandemia", finalizou.