Recuperação será mais lenta para indústria

Sobral e Juazeiro do Norte concentram polos industriais significativos que permanecem paralisados

O segmento de couro, artigos para viagem e calçados foi o mais impactado, com recuo de 27,54%
Legenda: Isolamento social rígido em Sobral e Juazeiro do Norte impacta polo calçadista
Foto: Antonio Rodrigues

A permanência de Sobral e a volta de Juazeiro do Norte à fase de isolamento social rígido complicam a situação da indústria no Estado, segundo avalia o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante.

Ele ressalta que as duas regiões concentram polos industriais significativos que permanecem paralisados e que serão necessários meses para retomar o nível de atividade das indústrias cearenses de fevereiro, anterior ao da chegada da pandemia ao Estado.

Construção civil

A definição também tem incomodado o setor da construção civil, que foi pouco paralisado no restante do País. "Temos seguido rigorosamente os protocolos e estamos aptos a retornar com 100% da capacidade", pontua o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE), Patriolino Dias.

Conforme o plano do Estado, a construção civil poderá voltar com 100% do efetivo na Capital, com até 40%na Região Metropolitana e 30% no interior, com exceção de Sobral e Juazeiro do Norte.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios